Cariocas do ano

Fátima Bernardes

Em 2014, a jornalista e apresentadora se consolidou como a líder absoluta das manhãs e ainda encontrou tempo para voltar a dançar, uma paixão dos tempos de menina

Por: Sofia Cerqueira - Atualizado em

Fátima Bernardes
(Foto: Leo Aversa)

Há três anos, Fátima Bernardes deu o passo mais ousado da sua carreira. Abriu mão do almejado posto de âncora do Jornal Nacional, o noticiário mais importante do país, para arriscar-se em uma área completamente nova, o entretenimento. Surpreendidos com a notícia, durante muito tempo, parentes, amigos e fãs fizeram a mesma pergunta à jornalista: “Mas por quê?”. De fato, foi difícil entender como uma profissional com sólida trajetória, responsável por entrevistas com presidentes e coberturas de alguns dos eventos mais importantes do planeta, entre eles quatro Copas do Mundo e duas Olimpíadas, decidiu recomeçar do zero. “Sentia a necessidade de experimentar algo que me desafiasse novamente”, conta. Em 2014, Fátima teve a confirmação de que sua intuição estava certa. Depois de um começo difícil, em que patinou na audiência, o Encontro com Fátima Bernardes tornou-se líder do horário. Na atração matutina, o público tem a chance de ver uma apresentadora mais solta, falando de improviso e até dançando no palco. “Estou completamente realizada. O que não quer dizer que eu não pense em melhorar sempre”, diz, deixando à mostra uma de suas características, o perfeccionismo.

A essa faceta da personalidade de Fátima somam-se a simpatia, a espontaneidade e uma credibilidade conquistada em mais de 25 anos de carreira diante das câmeras. É natural que, com a migração de programa, ela tenha se tornado uma das garotas-propaganda mais desejadas da televisão. Entre mais de trinta propostas, optou por estrelar a campanha publicitária de uma indústria de alimentos. O contrato, que inicialmente duraria um ano, já foi renovado e se estenderá por 2015. Aos 52 anos e às vésperas de completar 25 de casamento com o jornalista William Bonner, Fátima precisou mudar sua rotina em decorrência dos novos horários. Todos os dias ela chega ao Projac às 6h50, quatro horas antes de a atração ir ao ar. Em compensação, agora assiste ao noticiário noturno em casa, depois de passar catorze anos dando “boa-noite” aos telespectadores. Assim, consegue jantar diariamente com os trigêmeos Beatriz, Laura e Vinícius, de 17 anos. Nesta nova fase, a menina criada no Méier que sonhava ser bailarina ainda voltou a fazer aulas de jazz. “Agora sou uma jornalista e apresentadora que, nas horas vagas, dança.”

Fonte: VEJA RIO