entrando no mercado de trabalho

Dez dicas para quem busca uma vaga de estágio

Especilaista indica orientações para ajudar jovens universitários e recém-formados em processos seletivos

Por: Luna Vale

Como se preparar para entrevista de estágio
Como se preparar para entrevista de estágio (Foto: Divulgação)

Com o início de um novo semestre, muitas empresas abrem vagas de estágio e trainee em busca de novos talentos. Para quem está estudando ou é recém-formado, começa um novo período de processos seletivos, provas, entrevistas e a esperança de superar os outros candidatos e conseguir uma vaga no mercado de trabalho. Ao mesmo tempo, surgem as preocupação com a roupa, com o que falar, com o “branco” que dá na hora das perguntas e o medo de que algo dê errado.

+ Mostra-PUC movimenta universidade até sexta (14)

Como a inexperiência de participar da seleção e o nervosismo podem atrapalhar (e muito!) quem busca uma vaga, procuramos um especialista no assunto para dar dicas de como se sair melhor com o pessoal do RH. “Um processo seletivo é como uma prova e a matéria é você. Conheça suas competências e seus diferenciais. Estude também a empresa para conhecer o que será cobrado e avaliado”, explica Marc Olivero, da empresa Vero Talentos, especializada em ajudar jovens a se colocar no mercado de trabalho.

+ Aplicativos para treinar e aprender idiomas

Confira abaixo outras orientações que podem te ajudar nos processos seletivos:

1) Estude a empresa. Antes de ir para a entrevista ou a dinâmica, procure conhecer o perfil dela para saber se está alinhado com os seus objetivos. Hoje em dia tudo está disponível na internet e as redes sociais podem te ajudar a chegar a pessoas que trabalhem no local. Entender quais competências são mais importantes naquela empresa te ajuda a valorizar o que você tiver de positivo. Durante o processo, mostre que você pesquisou e que está animado em trabalhar lá.

2) Seja confiante. Para isso, autoconhecimento é fundamental. Conheça suas competências e seus pontos fracos, saiba no que você é bom para poder exaltar o que for importante. Entre na sala com segurança, cumprimente o entrevistador, se possível, pelo nome.

3) Faça vários processos seletivos. Aproveite os que não te interessam tanto como treino para que quando você chegue ao que realmente importa, esteja mais relaxado e já entenda melhor como funciona.

4) Saiba o que está sendo avaliado em cada etapa.  Os processos hoje trabalham avaliação de competências comportamentais como iniciativa, liderança, trabalho em equipe e comunicação. Leia livros ou busque informações com profissionais da área para aprender mais e entender o que o gestor procura e avalia.

5) A primeira impressão é muito importante. E a primeira coisa que reparam é a roupa. Procure saber antes qual o perfil da empresa para que você se vista de acordo com o que é esperado. Converse com pessoas que trabalhem no mercado e até com professores na universidade. Na dúvida, vá mais tradicional e arrumado, melhor pecar pelo excesso.

6) O currículo é um cartão de visitas. É a partir dele que a empresa começará a identificar seus diferenciais e decidirá se quer ou não falar com você.  O currículo de um universitário ou recém-formado não deve ter mais de duas páginas. Pense que o documento é uma breve lista sobre sua história acadêmica e profissional.

7) Conheça seus objetivos. É muito comum ouvir a pergunta “como você se imagina daqui a cinco anos?” e nessa hora o gestor quer saber se você tem um plano de vida e se sabe trabalhar para aquele plano, desenvolver competências para isso. Ele pode e deve ser ajustado com o tempo, mas é importante saber o que você quer pelo menos no curto prazo.

8) Não tente competir com os outros candidatos. É sempre você contra você mesmo, tente mostrar o melhor que você pode ser. Não interrompa, não queira aparecer mais. Colaboração é um diferencial, fazer com que o time cresça junto. Se você não mostrar os seus diferenciais, ninguém vai puxar isso de você. Busque um equilíbrio entre falar muito e falar pouco.

9) Quanto mais cedo começar a trabalhar, melhor. Vale buscar alguma atividade profissional nos primeiros períodos para começar a desenvolver outras habilidades. A faculdade é muito importante, mas não é tudo. Invista em empresa júnior, será o seu primeiro contato com o mercado, onde você pode ganhar bagagem e experiência. Vale também trabalho voluntário, trabalho de férias, estágio mais simples para agregar experiência antes de entrar na que você quer de fato. Busque experiências que possam agregar valor e mostram interesse no seu próprio desenvolvimento.

10) Invista em você mesmo. Formação acadêmica, competência comportamental e experiência profissional são os três atributos que o mercado de trabalho hoje espera de um jovem profissional.

Fonte: VEJA RIO