3 PERGUNTAS PARA...

Bruno Garcia

Por: Carlos Henrique Braz - Atualizado em

Divulgação
(Foto: Redação Veja rio)

Intérprete do médium Joselito na novela Aquele Beijo, da TV Globo, o ator andou envolvido em confusões nos bastidores da produção no início do ano. Superada a crise, Bruno Garcia volta ao teatro, como diretor, e prepara a encenação do drama Geração Pocket - Pessoas Mal Traduzidas, com estreia prevista para quinta (23), no Teatro Nelson Rodrigues.

É verdade que você chamou de ?gorda? uma colega de elenco na novela, a atriz portuguesa Marina Mota? Não faço ideia de onde saiu essa história. É o tipo de coisa que lembra ?telefone sem fio?. Foi alguma brincadeira ou um comentário que alguém ouviu de passagem e levou adiante, fora do contexto. Tenho uma relação maravilhosa com a Marina, além de achá-la bonita e gostosa. A sorte é que nós já temos uma intimidade e fizemos comentários engraçados sobre o caso no Facebook. Foi isso que salvou a situação, porque, se fosse uma artista com quem eu não tivesse intimidade, ficaria um mal-estar terrível. Nem como piada eu diria isso.

O que há de novo em seu retorno à direção, após as montagens dos espetáculos Mênon (1999), Disk Ofensa - Linha Vermelha (2000) e Apareceu a Margarida (2007)? Está sendo um trabalho um pouco autoral também. Como o texto do Frank Borges é sobre a editora Geração Pocket, em que o editor Cardoso (Lucci Ferreira) corta as obras originais dos autores antes de publicar, também faço recortes na dramaturgia. A ideia é deixar pequenas brechas na trama para que o espectador vá juntando as peças do quebra-cabeça e tire suas conclusões. No desenrolar da apresentação, o público percebe que os outros funcionários da editora têm ligações com o passado de Cardoso. É o caso da escritora Anna Karenina (Isabela Parkinson), do vendedor cego Rafael (Lucas Gouvêa) e do faz-tudo da firma Ismael (Alexandre Pinheiro), que recolhe as sobras tiradas dos livros para escrever sua própria obra. Acho importante mudar de lado, para perceber as dificuldades da direção. Acredito que melhorei muito como ator depois de ter essa experiência.

Já dá para pensar em férias depois da estreia da peça e do fim da novela? Não vou ter folga. Saio de um set e entro no outro, praticamente. As gravações no Projac devem terminar no fim de março. Nessa ocasião já estarei ensaiando as cenas do filme De Pernas para o Ar 2. Em abril, vamos embarcar com o elenco (Ingrid Guimarães, Antonio Pedro Borges, Maria Paula e Heloísa Périssé, entre outros), o diretor Roberto Santucci e a produtora Marisa Leão para Nova York, onde será rodada parte do longa.

Fonte: VEJA RIO