Comportamento

Baby Pilates ajuda as mães na volta à atividade física

Modalidade que atrai cada vez mais adeptas permite que mulheres façam exercícios acompanhadas dos filhos pequenos

Por: Luna Vale

Selmy-Yassuda
Fabiane Correa trabalha os músculos junto com Nina na posição conhecida como ponte (Foto: Selmy Yassuda)

Foco na respiração e o máximo de concentração são pré-requisitos básicos para a prática de pilates, técnica de origem alemã que mescla condicionamento físico a alongamentos. Em alguns estúdios, porém, as aulas têm sido embaladas por uma trilha sonora nada convencional. Em meio aos exercícios, é possível ouvir o choro e a risada de bebês — uma versão da modalidade em que as mamães podem fazer tudo acompanhadas de seus pequenos. “Você fica louca para voltar às atividades, e essa é uma ótima opção para quem não tem com quem deixar o filho”, diz a americana Celina Campus, mãe de Benjamim, de 4 meses, e aluna do Green Studio Pilates, na Barra (veja ao lado alguns exercícios praticados nas aulas). A economista, que há sete anos mora no Brasil, retomou os exercícios físicos vinte dias após o parto, assim que foi liberada pelo médico. Benjamim passou a acompanhá-la depois que completou 3 meses — antes, ele assistia a tudo do carrinho —, a idade recomendada por instituições que oferecem a modalidade, como a Casa Verde, em Laranjeiras, e a MCE Pilates, em Copacabana.

+ Profissionais e serviços para gestantes impulsionam mercado de nicho

Selmy-Yassuda-2
Kate Mello se exercita com a filha, Helena, no chamado alongamento mermaid (Foto: Selmy Yassuda)

Criado a pedido das próprias grávidas, que buscam uma forma de voltar à ativa mais rápido ou junto com os filhos, o baby pilates traz inúmeros benefícios para as mães. Além da melhora na postura e na qualidade do sono, é possível recuperar a musculatura da região abdominal e perder peso. “Fiz durante toda a gravidez e voltei trinta dias após o parto com minha filha. Ela dorme a noite inteira depois que começamos”, diz Fabiane Correa, mãe de Nina, de 1 ano. Segundo o médico Ricardo do Rego Barros, especialista em esporte da Sociedade Brasileira de Pediatria, não há nenhum estudo que comprove os benefícios da atividade para as crianças, mas ele garante que a modalidade é um ótimo estímulo para os pequenos, que já acompanham desde cedo a mãe na prática de atividade física.

Selmy-Yassuda-3
Celina Campus e Benjamim enquanto pratica o alongamento de cadeia posterior (Foto: Selmy Yassuda)

Fonte: VEJA RIO