EXPOISÇÕES

Luz, câmera, arte

No Instituto Moreira Salles, a partir de domingo (3), a inglesa Tacita Dean exibe filmes e obras sobre papel

Por: Carolina Barbosa - Atualizado em

roteiro-expos-01-abre.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

Nascida em 1965, em Canterbury, a inglesa Tacita Dean despontou na década de 90 com criações que usam o cinema analógico como suporte. Artista contemporânea de prestígio internacional, ela está presente na 55ª Bienal de Veneza, em cartaz até novembro. Sua primeira individual na América Latina ocupa o Instituto Moreira Salles a partir de domingo (3). Tacita Dean: a Medida das Coisas aborda conceitos de tempo e acaso em onze filmes registrados sobre películas de 16 e 35 milímetros. Completam a seleção da curadora, a venezuelana Rina Carvajal, sete obras sobre papel, entre gravuras e trabalhos inéditos feitos a partir de fotos e postais antigos do Rio de Janeiro. Uma delas é o guache sobre fotografia Petropolis (2013), sua interpretação para uma singela paisagem serrana. Representante mais emblemático de sua trajetória, Disap­pearance at Sea (1996) é inspirado na trágica história de Donald Crowhurst (1932-1969), velejador amador morto no mar. Rodado em Berwickshire, na Escócia, o filme acompanha o anoitecer ? do pôr do sol à escuridão completa ? de dentro do farol de St. Abb?s Head.

Instituto Moreira Salles. Rua Marquês de São Vicente, 476, Gávea, ☎ 3284-7400. Terça a domingo, 11h às 20h. Grátis. Estac. grátis. Visitas guiadas de terça a sexta, às 17h. Até 26 de janeiro. A partir de quinta (3).

Fonte: VEJA RIO