Ditadura em foco

Mostra reúne imagens de João Pina sobre regimes militares

Exposição conta com 100 registros do fotógrafo portugues no Museu de Arte Moderna

Por: Rafael Teixeira

Avaliação ✪✪✪✪

João Pina
Entrada de um centro de detenção em Santiago: valor estético e histórico (Foto: Reprodução)

Fruto de uma pesquisa de quase dez anos sobre a Operação Condor, aliança entre vários regimes militares que oprimiram países latino-americanos nos anos 70, a individual do fotógrafo português João Pina traz um aspecto curioso: boa parte das mais de 100 belas fotografias é carregada de valor estético intrínseco, à parte sua relação com o doloroso tema. Assim, é possível contemplar uma desoladora paisagem do Rio da Prata antes de saber que um número indeterminado de pessoas foi jogado lá de aviões, ainda com vida, por militares argentinos. Alentadas legendas informam sobre essas e outras histórias tétricas por trás das imagens — caso do chão da entrada do Londres 38, centro clandestino de detenção em Santiago, no Chile, que seus poucos prisioneiros sobreviventes só puderam reconhecer pelos azulejos brancos e pretos do piso, a única coisa que podiam ver quando entravam vendados. Também presente no acervo, uma série de lindos retratos de pessoas afetadas de alguma forma pelo autoritarismo dos regimes militares transmite um misto de tristeza e esperança.

Museu de Arte Moderna. Avenida Infante Dom Henrique, 85, Parque do Flamengo, ☎ 3883-5600. → Terça a sexta, 12h às 18h; sábado e domingo, 12h às 19h. R$ 14,00. A bilheteria fecha meia hora antes. Pessoas com mais de 60 anos pagam R$ 6,00. Grátis para amigos do MAM, menores de 12 anos e, na quarta, a partir das 15h, para todos. Aos domingos vigora o ingresso-família: pagam-se R$ 14,00 por grupo de até cinco pessoas. Estac. (R$ 5,00 para visitantes do museu). Até 22 de fevereiro.

Fonte: VEJA