DOAÇÕES

MNBA exibe trabalhos apreendidos pela PF

Trazidas ilegalmente ao Brasil, dezenove obras reunidas em coletiva foram doadas à coleção do Museu Nacional de Belas Artes

Por: Rafael Teixeira

AVALIAÇÃO ✪✪✪

Jorge Guinle Filho
Zumbido Zoantrópico (1982), óleo de Jorge Guinle Filho: uma das dezenove obras na coletiva (Foto: Nelson Jr./Divulgação)

Trazidas ilegalmente ao Brasil por compradores não identificados, as dezenove obras reunidas nesta coletiva poderiam estar hoje ocupando residências particulares. Em vez disso, apreendidas no Porto do Rio pela Polícia Federal, foram doadas à coleção do Museu Nacional de Belas Artes e integram Apreensões e Objetos do Desejo: Obras Doadas pela Receita Federal ao MNBA. Trata-se de uma notável seleção, recheada de nomes de ponta, a exemplo do italiano Michelangelo Pistoleto, do inglês Antony Gormley e dos brasileiros Cildo Meireles, Sérgio Camargo, Daniel Senise e Jorge Guinle Filho. Algumas das criações preenchem lacunas no acervo do MNBA. É o caso de Óleo e Madeira Pintado à Mão, acrílica sobre tela feita por Beatriz Milhazes nos anos 90 — a instituição só possui obras da artista produzidas na década anterior. O indiano Anish Kapoor comparece com um dos trabalhos mais convidativos da mostra, uma enorme concha espelhada em que o visitante se vê, ao mesmo tempo, de corpo inteiro e em detalhes estilhaçados.

Museu Nacional de Belas Artes. Avenida Rio Branco, 199, Centro, ☎ 3299-0600, ↕ Cinelândia. → Terça a sexta, 10h às 18h; sábado, domingo e feriados, 12h às 17h. Grátis em fevereiro. A partir de março, R$ 8,00 (pelo mesmo valor, o ingresso-família contempla até quatro parentes) e grátis aos domingos. Até o dia 29.     

+ Confira outras exposições em cartaz na cidade

Fonte: VEJA RIO