Rio 450 anos

Parque Lage terá programação especial para celebrar aniversário

Escola de Artes Visuais oferece atividades gratuitas durante todo o dia de domingo (1º)

Por: Redação VEJA RIO - Atualizado em

Parque Laje
Parque Laje promove atividades especiais para comemoração dos 450 anos do Rio (Foto: Pedro Agilson)

+ Centro Cultural em Santa Teresa promove atividades gratuitas

Neste domingo (1º), a Escola de Artes Visuais do Parque Lage (EAV) promove uma série de atividades gratuitas para comemorar os 40 anos de fundação da instirtuição e o aniversário de 450 anos do Rio de Janeiro. Arte, música, oficinas para crianças, lançamento de catálogo e exibição de balões solares, sem uso do fogo, são alguns dos destaques. Entitulada de Domingo no Parque, os festejos se estenderão mensalmente até setembro, com uma programação de música, poesia, performances, espetáculos teatrais, atividades educativas, instalações sonoras, lançamentos de publicações, entre outras ações. Em setembro, haverá uma grande celebração de encerramento das festividades dos 40 anos da EAV Parque Lage.

Confira a programação completa deste domingo (1º):

+ Prefeitura divulga a programação especial para os 450 anos

+ Shoppings têm programação especial em homenagem aos 450 anos do Rio

  • PERFORMANCE “LARGADA AO CÉU”, COM BALÕES SOLARES

8h, 9h, 10h, 11h e 12h | Terraço do Palacete

Um dos destaques do Domingo no Parque será a performance “Largada ao céu”, com balões solares, que reunirá cinco esculturas infláveis de papel de seda de cores escuras, de até doze metros de altura, infladas pelo ar quente produzido por pequenas ventoinhas e o calor do sol com coordenação do mestre baloeiro Luciano Britto e da Sociedade de Amigos do Balão (SAB).

O encontro de infláveis trará ao Parque Lage o ritual das Zonas Norte e Oeste do Rio em torno dessa prática, e cada balão levará uma bandeira de papel de seda com as logomarcas comemorativas dos 40 anos da EAV Parque Lage e dos 450 anos do Rio de Janeiro, e uma imagem da instituição. Um júri formado pelos artistas Ernesto Neto e Paulo Paes, e o gerente de eventos da OcaLage, Marcus Wagner, determinará a ordem de largada dos balões solares, que estará sujeita às condições meteorológicas.

O balão solar usa o mesmo princípio do balão de fogo para subir: aquece o ar que guarda no seu bojo. Mas faz isso sem a utilização de fogo, e sim com o uso de ventoinhas, e assim concentram calor com sua superfície escura exposta ao sol quente. Este tipo de balão vem sendo utilizado por baloeiros que desejam contornar os riscos incendiários dos modelos tradicionais, sem que pra isso tenham que abandonar sua arte. Esses são biodegradáveis e seguem as determinações da lei municipal número 5.511, de 2012.

+ Dez músicas sobre o Rio de Janeiro

  • CHUVEIROS SONOROS

8h às 21h | Área Verde

Será instalado na área verde do Parque o trabalho “Chuveiros sonoros”, do artista carioca Romano (1969), em que três chuveiros de banho em aço inoxidável, dispostos em cima de uma estrutura com azulejos, que acionados pelo espectador começam a “cantar”. O áudio de pessoas cantando e falando, colhido pelo artista, pode ser ouvido em caixas de som posicionadas na parte interna dos chuveiros, e o público pode regular o volume dos sons, mexendo nas torneiras dos chuveiros.

  • GRUPO DE CHORO PIXIN BODEGA

10h às 12h | Pátio da Piscina 13h às 15h | Parquinho Lage

Criado no final de 2010 na Praça General Glicério, em Laranjeiras, o grupo fará duas apresentações: com rabeca, das 10h às 12h, no Pátio da Piscina, no Palacete, e, das 13h às 15h, no Parquinho. O grupo, que tem o nome em homenagem a Pixinguinha e a Zé Bodega, saxofonista irmão do maestro Severino Araújo, é formado por sete músicos empenhados em manter a tradição dominical do choro na General Glicério, que passou a integrar a comemoração oficial dos 450 anos do Rio. Os músicos são Pedro Silva (clarineta e Saxofone), Jorge Mendes (violão de 7 cordas), Vinicius Santos (bandolim), Sérgio Zoroastro (cavaquinho), Luis Carlos Souza (percussão), Almir Bacana (percussão), e Lauro Mesquita (percussão).

  • XICO CHAVES E A POROMINA-MINARE, A INCORPORAÇÃO DE TIDO-MACUMBÊBÊ

15h | Pátio da Piscina

O artista visual e poeta Xico Chaves fará, às 15h, na Piscina, a “performance poética antiantropofágica” referenciada no mito de Poromina-Minare, que tem origem na região amazônica do Uaupês, e em outras influências da Alquimia, Magia Branca e Candomblé. Xico Chaves teve atuação marcante na gestão de Rubens Gerchman, de 1975 a 1979.

  • LANÇAMENTO DO CATÁLOGO QUINTA MOSTRA

16h | Salão Nobre

Lançamento do catálogo da exposição “Quinta Mostra EAV Parque Lage”, com a presença dos curadores-professores Anna Bella Geiger, Fernando Cocchiarale e Marcelo Campos, e dos artistas participantes Ana Freitas, Ana Hortides, Bruno Drolshagen, Daniel Albuquerque, Felipe Abdala, Gustavo Torres, Jonas Arrabal, José Alejandro Lópes, Lin Lima, Louise Botkay, Lucio Salvatore, Mariana Smith, Maya Dikstein, Priscila Piantanida, Raquel Versieux, Rodrigo Martins, Sergio Arbusà, Thomas Jeferson e Tiago Cadete.

  • CLINÂMEN – A BANDA DE UM DIA

16h | Gruta

A partir das 16h, e até as 21h, se apresentará na Gruta o grupo Clinâmen ou a Banda de um dia, formada pelos artistas plásticos, escritores, videastas, músicos e performers André Parente, Frederico Benevides, Jonnata Doll, Júlio Parente, Lucas Parente, Luísa Nóbrega, Solon Ribeiro, Uirá dos Reis e Yuri Firmeza, vindos de várias cidades, e que vão se reunir especialmente para o evento. Clinâmen é o “desvio de átomos em queda que se encontram no espaço para formar novas matérias”, explicam. “É o entrechoque em um espetáculo estrondoso que nos leva da exaustão (do excesso de barulho, imagem e duração) ao transe absoluto. Imagem e ruído se fundem atravessando a caverna artificial numa onda de espectros que desfaz todo limite entre mundos contíguos. Como dizia o poeta suicida e sem nação Ghérasim Luca (1913-1994), devemos abrir a palavra e a matéria como num acidente automobilístico, liberando o fluxo vital do seu casulo”.

  • JARDS MACALÉ

17h | Lago dos Patos

Em um espetáculo no Lago dos Patos, às 17h, Jards Macalé celebrará no Domingo no Parque seus 72 anos de intensa atividade de vida, junto com os 40 anos da EAV Parque Lage e os 450 anos da cidade do Rio de Janeiro. Compositor, intérprete, violonista, produtor e diretor musical, orquestrador e ator, Jards Macalé transita nas várias formas da arte, do cinema ao teatro, literatura e artes visuais. Um pouco da sua história está presente na Escola de Artes Visuais do Parque Lage.  No período de 1975 a 1979, na gestão inaugural de Rubens Gerchman, Macalé foi protagonista fundamental do evento Verão a 1000, idealizado e produzido por Xico Chaves, onde músicos atuavam ao lado de poetas e artistas. Aliado às novas gerações, Macalé está na música popular como na música erudita, do folclore à vanguarda.

  • OUTRAS ATIVIDADES

O Domingo no Parque terá ainda durante a manhã oficina para crianças com as professoras da EAV, percurso com mediadores pela mata, no Salão Nobre, às 16, haverá o lançamento do catálogo da exposição “Quinta Mostra EAV Parque Lage”, com a presença dos curadores-professores Anna Bella Geiger, Fernando Cocchiarale e Marcelo Campos, e dos artistas participantes Ana Freitas, Ana Hortides, Bruno Drolshagen, Daniel Albuquerque, Felipe Abdala, Gustavo Torres, Jonas Arrabal, José Alejandro Lópes, Lin Lima, Louise Botkay, Lucio Salvatore, Mariana Smith, Maya Dikstein, Priscila Piantanida, Raquel Versieux, Rodrigo Martins, Sergio Arbusà, Thomas Jeferson e Tiago Cadete.

Rua Jardim Botânico, 414, Jardim Botânico. Telefones: 3257-1800 e 21 3257-1840. Domingo (1º), das 8h às 21h. Os portões do parque fecham às 20h. Entrada gratuita.

Fonte: VEJA RIO