FestFIC-RJ

I Festival Interuniversitário de Cultura começa nesta quinta

Oito universidades públicas se reúnem para promover 400 atividades até próximo dia 12 de julho

Por: Redação VEJA RIO - Atualizado em

universidade nota
(Foto: Divulgação)

Dança, teatro, saraus e oficinas marcam presença no I Festival Interuniversitário de Cultura do Rio de Janeiro. Com cerca de 400 atividades, a FestFIC-RJ ocupará espaços públicos e acadêmicos em mais de 19 municípios. A programação, que acontece até o próximo dia 12, inclui performances, música, literatura, cursos de extensão, mostras e exposições audiovisuais, contemplando múltiplas linguagens e formas de expressão. CEFET, IFF, UENF, UERJ, UFF, UFRJ, UFRRJ e Unirio estão a frente da iniciativa, que tem o objetivo de promover o diálogo e o intercâmbio de arte entre as instituições.

+ Festa Literária Internacional de Paraty começa nesta quarta

+ 16ª Mostra Nós do Morro homenageia Shakespeare

Na abertura oficial do evento, na sexta (3), companhias de dança, corais e orquestras das universidades se apresentarão na Praça XV, às 15h. Em seguida, os grupos ocuparão as Igrejas do entorno - São José, Santa Cruz dos Militares e Antiga Sé – além do Paço Imperial e das escadarias da Alerj. O encerramento está marcado para às 18h30, quando se reunirão ao grupo de choro da Escola de Música da UFRJ, “Sôdade Brasilis”.

+ Os principais espetáculos de dança da cidadde

+ Os principais espetáculos em cartaz na semana

Já a Mostra Fest-FIC de Audiovisual terá a participação de diretores em debates ao final das sessões, entre os dias 7 e 11, na Casa da Ciência da UFRJ. No primeiro dia, serão exibidos curtas-metragens produzidos por alunos da Escola de Comunicação da UFRJ, entre eles, o filme “Simulacro”, que foi exibido no Short Film Corner, no Festival de Cannes, em 2015. Nos outros dias, o público poderá assistir aos longas “Tear”, de Taiane Linhares; “Tecido Memória”, de Sergio Leite Lopes, Celso Brandão e Rosilene Alvim; “À Queima-roupa – Crimes em Nome da Lei”, de Theresa Jessourum, entre outros. 

Fonte: VEJA RIO