nas alturas

Ioga aéreo ganha adeptos no Rio

Modalidade que une técnicas de pilates, acrobacia e exercícios do ioga tardicional é uma boa opção de exercício diferente

Por: Luna Vale - Atualizado em

yoga aéreo
Tecido facilita as posições invertidas da ioga (Foto: Divulgação)

Imagine uma aula na qual você se pendura em um balanço feito de tecido, vira de cabeça para baixo sem fazer pressão nos braços ou na cabeça e, de quebra, ainda fortalece os músculos e alonga o corpo. Se você pensou em uma sessão de acrobacia aérea misturada com pilates, chegou perto. Adicione algumas posições do ioga tradicional e está pronta a receita do Vayo ioga, ou ioga aéreo.

+ Conheça a ioga acrobática

Com diferentes posturas, a modalidade tem como objetivo trabalhar força, isometria, alongamento, descompressão das articulações e melhora da postura, tudo com consciência corporal e respiração. Enquanto o tecido torna as posições invertidas mais fáceis, por tirar o peso da cabeça e dos braços, ele causa instabilidade, o que exige mais concentração e foco do aluno. A aula não substitui o exercício aeróbico e não tem como objetivo a perda de calorias, mas fortalece os músculos de uma forma lúdica, uma ótima opção para quem não gosta de academia, por exemplo. Além do ganho físico, há também o trabalho da mente. “A mudança de percepção do corpo te faz trabalhar um pouco mais a noção de espaço e de equilíbrio, você começa a confiar mais na sua capacidade de se manter equilibrado, de ocupar aquele espaço”, conta o argentino Claudio Fernandes, instrutor de ioga aéreo do Espaço + pilates.

Vayu yoga
Uma das posições do yoga aéreo (Foto: Divulgação)

Criado nos anos 2000, a partir de movimentos do circo, a modalidade não tem grandes restrições. “Qualquer um pode fazer. O balanço tem uma gradação, com alguns uns exercícios mais próximos do chão, que são mais simples, outros em um nível médio até chegar ao avançado no qual o tecido fica um pouco acima da cabeça”, explica Vânia Penteado, professora certificada em Vayo ioga, que conta ainda que as aulas devem ter grupos pequenos de alunos. Já a fisioterapeuta Fabiana Guaraná indica a modalidade para pessoas que já pratiquem algum tipo de pilates ou ioga. “O ideal é ter conhecimento da técnica no chão antes de passar para o tecido”. A única ressalva médica é para pessoas com problemas de pressão alta e glaucoma, elas podem participar da aula, mas devem informar ao professor para evitarem posições invertidas. 

Vayu_02
Yoga aéreo é praticado com auxilio de um tecido (Foto: Divulgação)

Onde praticar:

Espaço Lunático - Rua Visconde de Carandaí 06, Jardim Botânico. Telefone: 3114-0098. A partir de R$220.

Gestos – R. Conde Afonso Celso 99, Jardim Botânico. Telefones: 2539 9804, 2539 0312. A partir de R$160.

Fabiana Guaraná Estúdio de Pilates e R.P.G - Rua Sargento José da Silva, 219 - Joá. Telefone: 2429-3890. A partir de R$100. 

Fonte: VEJA RIO