futebol

Romário e Romarinho

O craque da campanha do tetra e hoje deputado federal vê o filho começar do mesmo jeito que ele no futebol, como atacante dos juniores do Vasco

Por: Lula Branco Martins - Atualizado em

Foto: Fernando Lemos   Produção: Daniela Arend
(Foto: Redação Veja rio)

Neste caso, cabe o clichê: filho do ?Peixe? peixinho é. Romarinho, 17 anos, está na equipe de juniores do Vasco, clube com o qual assinou seu primeiro contrato profissional, em 2010. Tal qual o pai, ele é um atacante com boa presença na área, faro de artilheiro e muita autoconfiança. O que os difere é a estatura: com 1,76 metro, o garoto é 8 centímetros maior que o Baixinho. Já terá sido literalmente de bom tamanho se o herdeiro vier a fazer apenas parte do repertório de gols e jogadas geniais que o pai alcançou nos gramados. Romário foi o grande destaque da conquista do tetracampeonato mundial pela seleção brasileira, após um jejum de 24 anos, e foi eleito pela Fifa o melhor jogador do mundo em 1994. De volta ao Brasil no ano seguinte, atuou sempre em times cariocas: Flamengo, Vasco e Fluminense. Foi com a camisa cruz-maltina, inclusive, que ele concretizou sua última grande façanha nos campos: o gol de número 1?000 (pelas suas contas), marcado em 2007 numa partida contra o Sport no estádio de São Januário. Ao se aposentar da bola, buscou outra atividade que exige, igualmente, jogo de cintura. Elegeu-se deputado federal e hoje se desdobra entre a orla da Barra e o Planalto Central.

Fonte: VEJA RIO