maraca em festa

Dez curiosidades sobre o Maracanã

Em meio às comemorações de 65 anos do estádio, reunimos algumas de suas melhores histórias

Por: Redação VEJA RIO

Final da Copa do Mundo de 2014
Final da Copa do Mundo de 2014 (Foto: J.P Engelbrecht/Riotur)

O Maracanã acaba de completar 65 anos e tem muitas histórias para contar. Da trágica derrota brasileira na final da Copa do Mundo de 1950 à conquista do tetracampeonato pela seleção alemã em 2014, os gramados receberam ainda shows memoráveis de artistas como Rolling Stones, Madonna e Paul McCartney. Para comemorar a data, listamos dez curiosidades sobre o estádio:

♦ A palavra “maracanã”, em tupi, significa “maracá” (chocalho) e “nã” (semelhante).  O termo designa o som emitido pelo Maracanã-guaçu, pássaro comum na região da Amazônia à Bahia. Antes da construção do estádio, havia no local uma grande quantidade dessas aves.

Ave Maracanã-Guaçu
Ave Maracanã-Guaçu (Foto: Divulgação)

♦ Na construção do estádio foram gastos 7.730.000 horas de trabalho ininterruptas e, se empilhados, os sacos de cimento utilizados na obra formariam 78 colunas da altura do Corcovado ou duas vezes a altura do Pão de Açúcar.

♦ Na noite de véspera de inauguração do Maracanã, 15 junho de 1950, o gramado sofreu seu primeiro teste: uma pelada entre os engenheiros e os operários que trabalharam na construção. Por mais amistosa que tenha sido, foi a primeira partida do estádio, embora não se saiba o placar.

+ Dez motivos para conhecer o Museu da CBF

♦ O primeiro gol marcado oficialmente no Maracanã aconteceu em um amistoso em 16 de junho de 1950. O autor do feito foi o jogador Didi (Waldir Pereira), no jogo entre as equipes de Rio e São Paulo. Os paulistas venceram por 3 a 1, mas o primeiro gol foi do time carioca.

♦ A estátua do Bellini localizada na entrada do estádio, não corresponde, na verdade, ao capitão do time que levantou a taça da primeira Copa do Mundo conquistada pelo Brasil, em 1958. De autoria do escultor Matheus Fernandes, o Monumento aos Campeões do Mundo, inaugurado em 1960, só ganhou o nome de Bellini porque reproduz o gesto do capitão, com a taça levantada acima da cabeça.

Estatua do Bellini
Estatua do Bellini (Foto: Divulgação)

♦ O estádio foi o palco de um momento épico no futebol mundial: o milésimo gol de Pelé. Marca de pênalti, em partida entre Santos e Vasco. Após o encerramento do jogo, o Rei do Futebol surpreendeu a todos com um discurso em prol das crianças carentes do país: "Pensem neste Natal... Pensem nas criancinhas do Brasil".

Milésimo gol do Rei Pelé
Milésimo gol do Rei Pelé (Foto: Divulgação)

♦ O maior artilheiro da história do Maracanã é Zico, eterno ídolo Rubro-Negro. O Galinho de Quintino marcou 333 gols em 435 jogos.

Zico
Zico (Foto: Divulgação)

♦ O Maracanã será o primeiro estádio não olímpico do mundo a receber a abertura e o encerramento de Jogos Olímpicos. Além disso, ele já abrigou duas partidas de final de Copa do Mundo, em 1950 e 2014, feito igualado somente pelo estádio Azteca, no México.

♦ Durante a obra de adequação do estádio para a Copa de 2014, a lama resultante das perfurações da fundação foi reaproveitada e deu origem a 2,1 milhões de tijolos e 560 mil telhas. Cerca de 75% do material de demolição foi reutilizado no próprio Maracanã e em outras obras públicas.

Obras no Maracanã
Obras no Maracanã (Foto: Divulgação)

♦ Quando foi inaugurado, o Maracanã era o maior estádio do mundo e comportava quase 200 mil pessoas. Após as reformas, a quantidade de lugares foi reduzida para pouco mais de 78 mil. Para a Copa de 2014, a Fifa permitiu apenas 73.531 mil torcedores, por questões de segurança.

Fonte: VEJA RIO