CRIANÇAS

Dores de crescimento

Um homem que se recusa a lembrar do passado estrela O que Podemos Contar

Por: Rafael Teixeira - Atualizado em

AVALIAÇÃO ✪✪✪

Marco dos Anjos / Divulgação
(Foto: Redação Veja rio)

Sem História (Daniel Carneiro) não sabe de onde veio: está sempre olhando para a frente, em obstinada recusa a se lembrar do passado. A partir do encontro casual com a esperta Nina (Hikari Amada), ele percebe que, para se tornar um adulto, não é preciso romper laços com a memória. Desse processo de descoberta trata O que Podemos Contar, peça da Trupe do Experimento em cartaz no Centro Cultural Justiça Federal. Escrita e dirigida por Marco dos Anjos (do premiado infantil Sofia Embaixo da Cama), a peça cativa pela singeleza, mas o texto poderia se beneficiar de algum elemento antagonista mais forte, que dificultasse as coisas para o personagem principal e o conduzisse por caminhos mais interessantes.

Em corretas interpretações, outros quatro atores escoltam a boa dupla principal: Victor Rosalen, Vinicius Teixeira e Tathiana Loyola encarnam personagens das lembranças de Sem História, enquanto Leonam Moraes é o narrador encarregado de pontuar a trama recorrendo à música. Todos no elenco, aliás, cantam com desenvoltura. Emoldurado pela luz de Daniel Souza, o cenário de Cachalote Matos funciona em sua simplicidade: várias malas, aludindo ao espírito viajante do protagonista, fazem as vezes de carroça e, quando abertas, oficina de relógios e até cozinha.

O que Podemos Contar (50min). Livre. Estreou em 4/6/2011. Centro Cultural Justiça Federal (142 lugares). Avenida Rio Branco, 241, Centro, ☎ 3261-2550, ? Cinelândia. Sábado e domingo, 16h. R$ 30,00. Bilheteria: 16h/19h (qua. a sex.); a partir das 15h (sáb. e dom.). Até 21 de agosto. www.ccjf.trf2.gov.br.

Fonte: VEJA RIO