CRIANÇAS

Teatro

Por: Rafael Teixeira - Atualizado em

ALICE NO PAÍS DAS MARAVILHAS, adaptação de Dinho Valladares. Baseado no clássico de Lewis Carroll, o musical conta a história de Alice (Roberta Sellitti), menina entediada que é surpreendida quando um coelho branco aparece correndo na sua frente. Ao segui-lo, a personagem vai entrar no País das Maravilhas e viver diversas aventuras para conseguir voltar para casa ? no processo, depara com questões ligadas ao amadurecimento. Outros dez atores completam o elenco. A cenografia, do artista plástico Sidnei Vargas, conta com efeitos de raios laser e luz negra. Direção do autor (45min). Livre. Estreou em 10/9/2011. Sede da Cia. de Teatro Contemporâneo (120 lugares). Rua Conde de Irajá, 253, Botafogo, ☎ 2537-5204. → Sábado e domingo, 17h30. R$ 30,00. Bilheteria: a partir das 16h30 (sáb. e dom.). Até dia 30.

✪✪✪ CLUBE DOS PALHAÇOS, de Ne¬hemias Rezende e Evandro Mesquita. Na produção da trupe Irmãos Brothers, é no tal clube que tudo acontece: números de acrobacia, contorcionismo, malabarismo, monociclo, perna de pau, ilusionismo... A peça é embalada por boa música, incluindo Elvis Presley, The Temptations, Tom Waits e Celly Campelo. Tradição entre os Brothers, o espetáculo é repleto de humor ? ninguém segura o riso no número do palhaço que imita Beethoven. Direção de Evandro Mesquita (60min). Livre. Estreou em 30/7/2011. Centro de Referência Cultura Infância ? Teatro do Jockey (150 lugares). Rua Bartolomeu Mitre, 1110, Leblon, ☎ 3114-1286. Sábado e domingo, 16h30. R$ 20,00. Bilheteria: a partir das 15h (sáb. e dom.). Estac. na Rua Mário Ribeiro, 410 (grátis). Até 6 de novembro.

CONVERSAS INVERSAS HISTÓRIAS DIVERSAS, de Breno Sanches. Serve de fio condutor para a montagem o conto O Gargalo da Garrafa, trabalho menos conhecido do dinamarquês Hans Christian Andersen. O espetáculo narra a trajetória de uma garrafa, desde seus dias de glória, quando era utilizada na comemoração de um casamento, até momentos mais difíceis, boiando sozinha em alto-mar. Dividindo o palco, apenas dois integrantes do grupo Milongas (Adriano Pellegrini e Matheus Calado) vivem dez personagens. Os atores também interferem no roteiro, subvertendo a ordem natural da ação, e questionam a plateia, fazendo a garotada participar ativamente do espetáculo. A trilha sonora é executada ao vivo, não apenas com instrumentos musicais, mas também com o uso de diversos objetos. Direção do autor (50min). Livre. Estreou em 9/10/2011. Espaço Cultural Eletrobras Furnas ? Auditório (192 lugares). Rua Real Grandeza, 219, Botafogo, ☎ 2528-2794. Domingo, 17h. Grátis. Senhas distribuídas uma hora antes. Até dia 30.

✪✪ ERA UMA VEZ NA FLORESTA, dos Estúdios Mauricio de Sousa. A pedido do elefante Jotalhão, Mônica, Cebolinha, Cascão, Magali e Chico Bento fazem um alerta sobre o perigo que correm várias espécies do planeta. Enquanto conscientizam o público, os atores-bailarinos, dublados em cena, desfiam repertório composto para o espetáculo. A importância da mensagem se dilui no tratamento simplório dado ao tema ? falta uma história que dê liga aos números musicais. Adorados pelas crianças, porém, os personagens de Mauricio de Sousa seguram a diversão. Direção de Mauro Sousa (55min). Livre. Estreou em 3/9/2011. Teatro das Artes (457 lugares). Rua Marquês de São Vicente, 52 (Shopping da Gávea), Gávea, ☎ 2540-6004. Sábado, domingo e feriado, 15h e 17h. R$ 60,00. Bilheteria: 15h/20h (ter. a sex.); a partir das 14h (sáb. e dom.). Cc: M. Cd: R. IC. Estac. (R$ 6,00 por duas horas). Até 15 de novembro.

O FANTASMA DA MÁSCARA, adaptação de Victor Louis Stutz. Trata-se do romance O Fantasma da Ópera em versão infantil, baseada na superprodução da Broadway. Com término previsto para o último dia 25, a temporada foi estendida por mais um mês, mas o elenco mudou. Cristiana Pompeo assume o papel da cantora Belinha. Ela ganha dois objetos que pertenceram a um maestro: um livro e uma gaiola mágica. Interessado nos presentes, o personagem do título (Alexandre Pêssoa) sequestra a mocinha. A luxuosa produção encanta, com figurinos chamativos e projeções no cenário. Direção de Rosi Campos (70min). Livre. Estreou em 13/8/2011. Teatro Clara Nunes (527 lugares). Rua Marquês de São Vicente, 52 (Shopping da Gávea), Gávea, ☎ 2274-9696. Sábado e domingo, 17h. R$ 50,00 (crianças pagam R$ 25,00). Bilheteria: a partir das 14h (sáb. e dom.). IC. Estac. (R$ 6,00 por duas horas). Até dia 30.

O GATO DE BOTAS ? O MUSICAL, adaptação de Walter Daguerre. Baseada no conto de Charles Perrault, a peça conta a história de um moleiro que possuía três bens: um moinho, um burro e um gato. Ao dividir sua herança entre os três filhos, ele entrega o bichano (vivido por Chris Penna) ao caçula, Pedro (Ronaldo Dal?Bianco). A princípio descontente, ele logo nota que o animal vai trazer boas coisas para sua vida, incluindo aí o amor de uma princesa (interpretada pela ex-paquita Andrea Veiga). A montagem é embalada por músicas compostas especialmente para o espetáculo, além de obras eruditas de autores como Bach. Direção de Daniel Dias da Silva (60min). Livre. Estreou em 8/10/2011. Teatro Solar de Botafogo (182 lugares). Rua General Polidoro, 180, Botafogo, 2543-5411. Sábado, 17h; domingo, 16h. Sessão extra na quarta (12), 15h. R$ 40,00. Bilheteria: a partir das 15h (sáb. e dom.). IC. Até 18 de dezembro.

✪✪✪ LEONARDO ? O PEQUENO GÊNIO DA VINCI, de Ivan Fernandes. Baseada na vida do gênio do Renascimento, a peça conta a história de Leonardo da Vinci (Paulo Mathias Jr.) quando criança. Amigo dos pássaros, seu sonho é construir uma máquina de voar ? por essas e outras, é considerado um excêntrico por seu pai e pelos moradores do vilarejo onde vive. O único que parece entendê-lo é um mercador, que pretende levar o garoto para Florença, onde ele poderá desenvolver seus talentos. O cenário um tanto pobre é compensado pelo uso de interessantes adereços cênicos, como bonecos e máscaras, além do divertido elenco. Direção do autor (60min). Livre. Estreou em 24/9/2011. Teatro Maria Clara Machado (124 lugares). Avenida Padre Leonel Franca, 240 (Planetário da Gávea), Gávea, ☎ 2274-7722. → Sábado e domingo, 16h. R$ 20,00. Bilheteria: a partir das 15h (sáb. e dom.). Estac. (R$ 10,00). Até 13 de novembro.

✪✪✪✪ LEONEL PÉ-DE-VENTO, adaptação de Jair Giacomini e Tarcísio Puiati. Inspirado no premiado curta de animação homônimo, dirigido por Giacomini, o musical conta a história de Leo¬nel (Roberto Souza), um menino diferente: ele está sempre flutuando ? na peça, o ator permanece suspenso por cabos ou em cima de uma plataforma no cenário. Alvo de temor ou troça por parte dos habitantes da cidadezinha onde mora, ele começa a mudar de vida com a chegada de Mariana (Graciela Pozzobon). Com mais seis atores, o desenvolto elenco dança e canta bem. Divertidos figurinos de Mauro Leite e caprichada cenografia de Dóris Rollemberg enfeitam a montagem. Direção de João Batista (60min). Rec. a partir de 5 anos. Estreou em 13/8/2011. Oi Futuro Flamengo (84 lugares). Rua Dois de Dezembro, 63, Flamengo, ☎ 3131-3060, ? Largo do Machado. → Sábado e domingo, 16h. Sessões extras na quarta (12), 11h e 16h. R$ 10,00. Bilheteria: a partir das 11h (sáb. e dom.). Até 27 de novembro.

✪✪ LOJA DE BRINQUEDOS, de Claudio Figueira. Menina (Yara Sardenberg) é uma garotinha rica. À procura de algum presente que ainda não tenha recebido, ela conhece, na loja do título, o carente Urso Feliz (Carlos Viegas), o sabido Robô (Marcelo Klein) e outros tipos inventados pelo Criador de Brinquedos (Gabriel Titan). Entre as cenas que arrancam risos dos pequenos sobressaem as palhaçadas da Bola Cansada (a ótima Daniele Falcone). Por outro lado, há coreografias tumultuadas, além da trilha sonora de letras e arranjos óbvios. Direção do autor e de Carlos Arthur Thiré (60min). Livre. Estreou em 5/2/2011. Teatro Vannucci (400 lugares). Rua Marquês de São Vicente, 52 (Shopping da Gávea), Gávea, ☎ 2274-7246. → Sábado e domingo, 18h30. R$ 50,00. Bilheteria: 18h/22h (ter.); 14h30/22h (qua. a sex.); a partir das 14h30 (sáb. e dom.). IC. Estac. (R$ 6,00 por duas horas). Até 18 de dezembro.

✪✪✪✪ O MAIOR MENOR ESPETÁCULO DA TERRA, de Alvaro Assad e Melissa Teles-Lôbo. Forma de entretenimento popular no século XVIII, o circo de pulgas é revitalizado pelo grupo carioca Centro Teatral e Etc e Tal. No palco, os autores do espetáculo se juntam ao terceiro membro da trupe, Marcio Moura. As pequenas artistas ganham vida por meio de truques ma¬nuais e recursos técnicos esplendidamente executados ? a ponto de deixar as crianças em dúvida se não há mesmo pulgas de verdade em cena. São apresentadas, por exemplo, uma banda musical de insetos, uma pulga que é arremessada por um canhão em miniatura, outra que pula de um trampolim num tanque de água e mais uma que se equilibra em uma minibicicleta ao atravessar um fio de arame. Mais do que um acessório cuja única serventia é enfeitar o espetáculo, a cenografia aqui foi desenvolvida com enorme zelo para receber os números circenses, que acontecem em um picadeiro de 1,20 metro de diâmetro. Como de hábito nos trabalhos da companhia, o humor perpassa todo o espetáculo, funcionando com crianças e adultos. Direção dos autores (50min). Rec. a partir de 5 anos. Estreou em 1º/10/2011. Caixa Cultural ? Teatro de Arena (150 lugares). Avenida Almirante Barroso, 25, Centro, ☎?2544-4080, ??Carioca. Sábado e domingo, 17h. R$ 6,00. Bilheteria: 10h/20h (ter. a dom.). Até domingo (16).

✪✪✪ O MENINO DETRÁS DAS NUVENS, adaptação de Maria Clara Wermelinger. Baseada no livro homônimo de Carlos Augusto Nazareth e no premiado espetáculo de 1997, do mesmo autor, a peça apresenta Zezinho (o carismático Wladimir Pinheiro), criança que sonha em conhecer o mundo. A perda de um amigo, no entanto, abala esse interesse. Apenas a chegada de um circo à cidade é capaz de resgatar sua alegria ? e, de quebra, fazê-lo se descobrir um artista e encontrar seu primeiro amor. Misturando referências dos três contos do livro original, mais personagens e situações criados pela autora, a história cativa os espectadores por sua singeleza. Merece destaque a cenografia, simples, mas engenhosa, que se vale de uma série de adereços utilizados de maneira inusitada ? como os guarda-chuvas que ora evocam o sol, ora um carrossel. Além de Wladimir Pinheiro, outros quatro atores completam o desenvolto elenco, que canta e toca instrumentos como piano, violino, flauta, acordeão e peças de percussão. Direção da autora (50min). Livre. Estreou em 3/9/2011. Centro Cultural Justiça Federal (142 lugares). Avenida Rio Branco, 241, Centro, ☎ 3261-2550, ? Cinelândia. → Sábado e domingo, 16h. R$ 30,00. Bilheteria: 16h/19h (qua. a sex.); a partir das 15h (sáb. e dom.). Até 4 de dezembro.

✪✪✪✪ NA COLA DO SAPATEADO, de Gisela Saldanha, Mabel Tude, Maria Dulce Saldanha e Tânia Nardini. Bem-sucedida, a peça teve a sua primeira montagem em 1987, quando foi apresentada em mais de 100 sessões em palcos do Rio e de São Paulo. Na história, diante da ameaça de um teste-surpresa, sete alunas bolam um plano: como apenas uma delas (Maria Dulce Saldanha) domina a matéria, a turma resolve tentar colar com um código desenvolvido através de passos de sapateado ? que, no palco, são misturados de forma contagiante com gêneros brasileiros como samba, frevo e choro. Direção de Tony Nardini (60min). Rec. a partir de 2 anos. Reestreou em 8/1/2011. Teatro do Leblon ? Sala Marília Pêra (462 lugares). Rua Conde Bernadotte, 26, Leblon, ☎ 2529-7700. Sábado e domingo, 17h. R$ 40,00. Bilheteria: 15h/21h (ter. a dom.). Cc: D, M e V. Cd: todos. IC. Até 13 de novembro.

✪✪✪ O PATINHO FEIO, adaptação de Maria Clara Machado. Na versão da dramaturga para o clássico do dinamarquês Hans Christian Andersen, cenário e figurinos de Clivia Cohen merecem menção pelo capricho. No palco estão atores oriundos do Tablado, fundado por Maria Clara (1921-2001), como George Sauma (o protagonista), Cláudia Paiva, Nedira Campos e Fabiana Valor (que também divide a direção com Bernardo Jablonski). No elenco, o destaque é Sauma, com gags físicas que divertem as crianças. As belas músicas são do maestro John Neschling (60min). Livre. Reestreou em 17/9/2011. Teatro dos Quatro (402 lugares). Rua Marquês de São Vicente, 52 (Shopping da Gávea), Gávea, ☎ 2540-6004. Sábado e domingo, 17h. R$ 50,00. Bilheteria: a partir das 14h (sáb. e dom.). IC. Estac. (R$ 6,00 por duas horas). Até 11 de dezembro.

PORQUINHOS ? O MUSICAL, adaptação de Dharck Tavares. No palco, os suínos Cícero, Heitor e Prático dão lugar a duas porquinhas (Rosa, vivida por Evelyn Castro, e Kika, por Érika Thomas) e um porquinho (Pietro, interpretado por Rodrigo Fernando). Como na história original, os bichos se veem às voltas com o Lobo Mau (Raí Valadão) depois de construir suas casas na floresta. A montagem privilegia a música, passeando por jazz, blues, pop e rock. Direção de Luis Fernando Bruno e Leandro Bispo (50min). Livre. Estreou em 11/6/2011. Teatro Vannucci (400 lugares). Rua Marquês de São Vicente, 52 (Shopping da Gávea), Gávea, ☎ 2274-7246. → Sábado e domingo, 16h. Sessão extra na quarta (12), 16h. R$ 50,00. Bilheteria: 18h/22h (ter.); 14h30/22h (qua. a sex.); a partir das 14h30 (sáb. e dom.). IC. Estac. (R$ 6,00 por duas horas). Até 18 de dezembro.

O REI DO LIXO, de Luis de Lima Navarro. Concebido há quatro anos, o espetáculo vem sendo apresentando em escolas de todo o Brasil. Na história, Pitu (Pedro Valério Lopez), um menino catador de lixo, tem amigos bastante inusitados: uma garrafa de sidra, um balde de plástico e uma caixa de papelão. Juntos, eles partem em uma jornada lúdica em busca da realização de seus sonhos, enquanto conscientizam os pequenos espectadores com relação a questões ambientais, incluindo a importância da reciclagem. Direção de Maria Pia Carone (50min). Rec. a partir de 5 anos. Estreou em 1º/10/2011. Centro Cultural Anglo-Americano (260 pessoas). Avenida das Américas, 2603, Barra, ☎ 2439-8002. Sábado e domingo, 17h30. R$ 40,00. Bilheteria: a partir das 14h. IC. Até 20 de novembro.

O REI LEÃO ? O REINO DE SIMBA, adaptação de Grazielle Menezes. Baseado na animação de sucesso da Disney, o musical conta a história de Simba (Gabriel Valle), leãozinho que é filho do rei Mufasa (Vinicius Dall Olivo). Enganado pelo ardiloso Scar (Guilherme Prates), seu tio, ele é acusado injustamente pela morte do pai, e banido. Já adulto (com Dall Olivo no papel), ele retorna para reivindicar o trono que é seu por direito. Direção da autora (60min). Livre. Estreou em 1º/10/2011. Teatro Fashion Mall ? Sala 2 (300 lugares). Estrada da Gávea, 899, São Conrado, ☎ 2422-9800. → Sábado e domingo, 17h. Sessão extra na quarta (12), 17h. R$ 40,00. Bilheteria: a partir das 15h (sáb. e dom.). Cc: M e V. Cd: M e V. Estac. (R$ 5,00 por duas horas). Até 27 de novembro.

ROBIN HOOD, de Marco Antônio Campos e Marcello Caridade. Em 1992, os autores já haviam levado a lenda de Robin Hood ao teatro, com um jovem Eduardo Moscovis no papel principal. Nesta nova versão, a história do herói que roubava dos ricos para dar aos pobres (vivido agora por Márcio Miranda) ganha contornos de musical. As canções foram compostas pelo próprio Caridade, junto com Hugo Lopes. Direção de Marcello Caridade (70min). Rec. a partir de 6 anos. Estreou em 8/10/2011. Teatro Fashion Mall ? Sala 1 (470 lugares). Estrada da Gávea, 899, São Conrado, ☎ 2422-9800. → Sábado e domingo, 17h. R$ 40,00. Bilheteria: a partir das 15h (sáb. e dom.). Cc: M e V. Cd: M e V. Estac. (R$ 5,00 por duas horas). Até 27 de novembro.

✪✪✪✪ TRIANGULINHA, de Mônica Alvarenga. Dança, música e artes circenses dão o tom desta história sobre rejeição. A bailarina Kayo Miller é Triangulinha, figura singular em um mundo de seres redondos ? que, por isso, sofre todo tipo de preconceito. Sem falas, a ação se desenrola através da bela coreografia de Toni Rodrigues, associada à excelente trilha sonora de Mu Carvalho, que consegue transmitir o sentido do que acontece com os personagens. A cenografia de Dóris Rollemberg se vale de animações projetadas ao fundo e ganha o auxílio da caprichada iluminação de Virgílio D?Ângelo, colaborador do Grupo Corpo. Direção da autora (45min). Livre. Reestreou em 10/9/2011. Teatro Laura Alvim (245 lugares). Avenida Vieira Souto, 176, Ipanema, ☎?2332-2015, ??General Osório. Sábado e domingo, 17h. R$ 30,00. Bilheteria: a partir das 15h (sáb. e dom.). Até dia (30).

Fonte: VEJA RIO