CRIANÇAS

Fábula doméstica

O Pirata Barba Ruiva, livro inspirado em histórias contadas de pai para filho, ganha adaptação teatral

Por: Rafael Teixeira - Atualizado em

Dalton Valerio / Divulgação
(Foto: Redação Veja rio)

Igual a muita gente, Manoel Arthur Villaboim costumava contar histórias de piratas para seus filhos pequenos. Em 2009, quando o mais velho dos três tinha 10 anos, essas sessões de distração caseira foram reunidas na trama de um livro infantil e conquistaram público maior. Agora, O Pirata Barba Ruiva, depois de 2?000 exemplares vendidos, chega ao palco. Em forma de espetáculo, estreia no sábado (14), no Oi Futuro Ipanema, com adaptação e direção de Susanna Kruger.Barba Ruiva não é um pirata comum: ele é do bem. Guardião dos mares da Ilha Grande, no litoral fluminense, tem a missão de cuidar das crianças e proteger o que seria o tesouro mais procurado de todos os tempos. A trama é metalinguística.

No palco, como na casa do autor, o personagem aparece nas histórias que o menino Herou Flint costuma ouvir do pai antes de dormir. Um belo dia, o garoto de verdade e o herói fictício se encontram. Interpretado por Fábio Enriquez, o garoto ? cujo nome é uma homenagem ao ator Errol Flynn (1909-1959), astro de vários filmes sobre piratas ? é sequestrado na saída da escola por um desses saqueadores dos mares, o vilão Olho de Tigre (Alex Teix). Preocupados, seus irmãos Isinha (Juliana Brisson) e Tintim (Bruno Salgueiro) decidem enviar uma mensagem a Barba Ruiva (também Teix), através de pombo-correio, pedindo ajuda para salvar o caçula.

A Mata Atlântica, onde se passa a trama, é recriada pela cenógrafa Aurora dos Campos, sob iluminação do tarimbado Aurélio de Simoni. Em meio a aventuras por trilhas e cavernas, ainda sobra tempo para uma mensagem ecológica, transmitida por um trio de criaturas da floresta: o lobo Cinzento (Heloísa Lazari), o papagaio Papa (Júlia Shimura) e o macaco Tico Mico (Bárbara Abi-Rihan), que ganham vida nos figurinos de Kalma Murtinho.

O Pirata Barba Ruiva. Rec. a partir de 4 anos. Oi Futuro Ipanema (120 lugares). Rua Visconde de Pirajá, 54, 3º andar, Ipanema, ☎ 3201-3010, ? General Osório. → Sábado e domingo, 16h. R$ 15,00. Bilheteria: 15h/21h (ter. a sex.); a partir das 15h (sáb. e dom.). Até 27 de maio. Estreia prometida para sábado (14).

Fonte: VEJA RIO