CRIANÇAS

Três perguntas para...

... Márcio Trigo, autor de livros infantis e diretor de teatro e TV que está às voltas com um novo desafio, o musical de ficção científica A Viagem Fantástica

Por: Bruna Talarico - Atualizado em

Divulgação
(Foto: Redação Veja rio)

Egresso do Tablado, um dos fundadores do premiado grupo Manhas e Manias, nos anos 80 ? por onde passaram, entre outros, os atores Andrea Beltrão, Chico Diaz e Débora Bloch ?,

o autor de livros infantis e diretor de teatro e TV Márcio Trigo está às voltas com um novo desafio. Trata-se de uma montagem sustentável, ecológica na forma e no conteúdo: o musical de ficção científica A Viagem Fantástica estreia no sábado (1º), no Espaço Tom Jobim.

O que vem a ser uma montagem sustentável? É a primeira vez que participo de um trabalho assim. Todo o material que compõe o cenário é reciclado. O figurino foi feito com tecido de garrafas PET, e os equipamentos eletrônicos, incluindo refletores de lâmpadas LED, serão alimentados com energia solar. Como se trata de um musical de temática ecológica, que aborda a consciência ambiental a partir de atos simples, buscamos preservar essa mensagem também na execução do espetáculo.

Esse tema já foi amplamente abordado em peças infantis. Você não teve medo de soar batido? É um tema que parece batido, mas a abordagem é nova, mais prática. Falamos de coisas simples, como reciclar o lixo, mostrando que podemos construir um futuro melhor para nossos filhos e netos a partir de atitudes de rotina. Na peça, dois garotos vêm do futuro e levam o grupo para o tempo deles com o objetivo de mostrar que, se não tomarmos providências agora, as próximas gerações vão sofrer bastante com isso. Eu mesmo tenho me surpreendido falando com minhas quatro filhas, em casa, sobre as lições ecológicas que abordamos na peça.

O elenco não tem rostos conhecidos. Como foi feita a seleção? Temos apenas três adultos em cena, que constam como participações especiais. De resto, trabalhamos com oito crianças, todas de áreas carentes. Os pequenos já estavam engajados em projetos culturais e têm um tremendo potencial artístico. Foram apenas quatro meses de preparo, mas eles atuam com paixão, cantam e dançam. Neste grupo temos algumas apostas de futuros grandes atores.

Fonte: VEJA RIO