CRIANÇAS

Casa de bonecas

Encenada no Sesc Tijuca, a peça Lar Doce Lar demora a embalar, mas garante boas risadas

Por: Rafael Teixeira - Atualizado em

AVALIAÇÃO ✪✪

Divulgação
(Foto: Redação Veja rio)

Companhia conhecida pelo uso de técnicas de clown em suas encenações, o Teatro de Anônimo destacou-se por recorrer a artes circenses para entreter o público adulto. Curiosamente, na única montagem de seu repertório voltada para as crianças, a trupe economiza no estilo que a consagrou. Lar Doce Lar, com direção de Sérgio Machado, está em cartaz no Sesc Tijuca. Montado pela primeira vez em 2006, o espetáculo voltou recentemente ao circuito como parte de uma mostra retrospectiva que comemora os 25 anos do grupo.

No palco, Shirley Britto (também autora do texto, ao lado do diretor) e Maria Angélica Gomes vivem as bonecas Cora e Amélia. A primeira, meio desmiolada, tem espírito aventureiro, enquanto a outra é mais esperta e pacata. Muito amigas, as duas já tiveram donas, mas agora estão esquecidas num brechó, de onde querem sair quanto antes. Talvez pela quase total ausência de gags típicas de palhaços, a simpática história tem dificuldades para decolar. A dinâmica entre os personagens tão distintos, porém, garante bons momentos ? como a cena em que as duas interagem com um joão-bobo inflável.

Lar Doce Lar (60min). Rec. a partir de 3 anos. Estreou em 3/3/2012. Sesc Tijuca (264 lugares). Rua Barão de Mesquita, 539, Tijuca, ☎ 3238-2100. Sábado e domingo, 17h. R$ 16,00. Bilheteria: a partir das 15h (sáb. e dom.). Até 1º de abril.

Fonte: VEJA RIO