Roteiro

As melhores atrações infantis da cidade

Ze Zuca com o Roda de Cantigas, na Gávea, e uma nova versão de Chapeuzinho Velhermelho são destaques da semana

Por: Pedro Moraes

Zé Zuca e Banda de Brinquedo
(Foto: Divulgação)
  • O grupo circense promove oficinas livres no projeto A Cobra na Bacia, criado em 1996 com a função de difundir a linguagem da companhia. Nos encontros, as crianças recebem aulas com noções de artes do picadeiro, dança, música e teatro. Entre as atividades estão acrobacias e malabares. Rec. a partir de 5 anos.
    Saiba mais
  • Ótima opção de lazer para a garotada radical. O playground dentro da área de proteção ambiental do Parque da Catacumba oferece tirolesa, muro de escalada e arvorismo com vista para a Lagoa. Estrutura mais recente, o Circuito Kids, para crianças de 2 a 6 anos, oferece tirolesinha e murinho de escalada, em tamanhos mais adequados para os pequeninos. Rec. a partir de 2 anos.
    Saiba mais
  • O centro cultural dedicado a ciências astrofísicas abriga extensa programação. Atualmente, três exposições estão em cartaz: Experimentos Interativos, Números e Cores — Uma História da Astronomia e O Universo Deslumbrante. Em todas as tardes há atividades para crianças de 3 a 7 anos. Uma delas, curiosa, ensina sobre o universo com o auxílio de bolhas de sabão. Nos fins de semana acontecem as sessões de cúpula, de hora em hora, das 15h às 18h. Rec. a partir de 3 anos.
    Saiba mais
  • Marcella Dale e Marcela Coelho promovem um jogo de musicalidade e dramatização sobre conhecidos trava-línguas, aquelas frases difíceis de dizer rapidamente. A encenação é simples, com um tapete vermelho sobre o qual a dupla se apresenta. Em figurinos que lembram trajes de bonecas de pano, elas ganham a plateia com enorme entrosamento e pleno domínio do texto (45min). Rec. a partir de 4 anos.
    Saiba mais
  • Um príncipe (Renato Calvet) transformado em fera por uma feiticeira só voltará ao seu aspecto original se encontrar o amor verdadeiro. Quando conhece Bela (Luísa Viotti), a vida dele muda. Direção: Allan Ragazzy (60min). Rec. a partir de 3 anos. Reestreou em 4/6/2016. Teatro das Artes (470 lugares). Rua Marquês de São Vicente, 52, 2º piso, Gávea, ☎ 2540-6004. → Sábado e domingo, 17h. R$ 60,00. Bilheteria: a partir das 15h (sáb. e dom.). Até o dia 31.
    Saiba mais
  • Com toques atuais na decoração e no figurino, o clássico de Maria Clara Machado, encenado pela primeira vez em 1958, encanta. Na trama, Ângela (Diana Herzog) sofre com a chacota das colegas porque é uma bruxinha incapaz de fazer maldades. São divertidos detalhes na encenação o cenário com bambolês iluminados, a trilha sonora interpretada ao vivo e o bom desempenho das bruxinhas coadjuvantes, Fedorosa (Manuela Llerena), Fedelha (Lilia Wodraschka), Fredegunda (Carol Repetto) e Caolha (Joana Castro), todas hilárias. Rec. a partir de 3 anos. 
    Saiba mais
  • Na montagem de Cleiton Morais e Vinicius Olivo o texto clássico traz o duelo mocinho e bandido, entre o caçador e o lobo, para o centro da trama. Os figurinos são de Herbert Correa e Giovanni Targa, e o elenco conta com nomes como o de Laura Lobo e Udylê Procópio. Rec. a partir de 3 anos. Reestreou em 11/4/2014.
    Saiba mais
  • Com direção do ator Duda Ribeiro, o espetáculo conta a famosa história da personagem-­título (Vanessa Schnee), que é maltratada pela madrasta e tem a chance de conhecer um príncipe em um baile. Rec. a partir de 3 anos.
    Saiba mais
  • Ambientado no Recife, o espetáculo tem trilha sonora recheada de sucessos do frevo, de nomes como Capiba e Alceu Valença. O texto de Pedro Murad conta a história de Clara (Juliana Xavier), que mora em um casarão com uma baronesa esquisita e tem a companhia de seu melhor amigo, um pombo-correio (60min). Rec. a partir de 3 anos. Estreia prevista para 4/4/2015.
    Saiba mais
  • O musical estrelado por Pedro Valério e Felipe Simas recorre a números de acrobacia e ilusionismo. Em cena, a clássica história do escritor francês Victor Hugo. Pedro interpreta o sineiro Quasímodo, que vive trancado no alto da catedral mais famosa de Paris e sonha em ser aceito pela sociedade. Rec. a partir de 2 anos.
    Saiba mais
  • Princesas das histórias infantis como Branca de Neve, Cinderela e a Bela Adormecida se encontram no musical que aposta da interatividade com o público. Durante o espetáculo, criado por Billy Bond, crianças são escolhidas na plateia para participar da história. Rec. a partir de 3 anos. 
    Saiba mais
  • Desde a morte de Elvis, seu canário belga batizado em homenagem ao Rei do Rock, a pequena Cecília (Letícia Colin) está inconformada. Atrás de respostas que a ajudem a lidar com a dor da perda, ela encontra quatro figuras curiosas: o urso de pelúcia Max (Pedro Lima), a irritadiça Lili (Simone Mazzer), o vilão de filmes de pirata Sebastião (Marcel Octavio) e a desmemoriada Gilda (Júlia Gorman). O que esses personagens têm em comum com a protagonista vai ser descoberto ao longo da irretocável montagem, idealizada pelos atores e produtores Felipe Lima e Pablo Sanábio — o segundo também paticipou da criação dos arrebatadores O Menino que Vendia Palavras e Fonchito e a Lua. A partir do livro homônimo do escritor e ilustrador alemão Peter Schössow, Rafael Gomes e Vinicius Calderoni desenvolveram um texto que se comunica com a garotada, mas também cala fundo nos adultos. O público mais novinho, se não alcança as reflexões sobre finitude e memória, é entretido pelo visual deslumbrante (cenário de Bia Junqueira, luz de Luiz Paulo Nenen e figurinos de Luciana Buarque) e pela interpretação impecável das canções de Elvis Presley. A direção lúdica de Renato Linhares contagia a plateia e extrai o maior entrosamento dos atores, cada um com seu próprio momento de brilho (60min). Rec. a partir de 5 anos.
    Saiba mais
  • Inspirado em O Mágico de Oz, o musical escrito e dirigido por Maurício Alves conta a história de uma menina que vive num orfanato e descobre ter poderes mágicos. Rec. a partir de  2 anos. Reestreou em 14/3/2015.
    Saiba mais
  • Sucesso de público desde 2012, A Pequena Vendedora de Fósforos volta para o palco onde estreou, o Oi Futuro Ipanema, no sábado (11). Inspirado no original do dinamarquês Hans Christian Andersen — autor de, entre outras narrativas, O Patinho Feio e A Pequena Sereia —, o espetáculo recorre ao lirismo para tratar de temas áridos, como perdas e solidão. Em cena, Maria (Dayse Pozato) é uma menina pobre que anseia por uma vida melhor. Com frio e fome, ela busca abrigo na fantasia, sonhando acordada com belas histórias e as memórias de sua avó (Jacyan Castilho). O tom dramático, que se mantém até o fim, não afastou o público. “Toda a nossa trajetória, desde a estreia, tem sido emocionante”, diz Dayse. A montagem traz ainda o ator Alexandre David, que, assim como Jacyan, se divide em outros personagens. A peça foi o último trabalho da diretora Lúcia Coelho, morta em outubro do ano passado, aos 79 anos. Vencedora de mais de vinte prêmios por criações dirigidas ao público infantil, com mais de cinquenta produções no currículo, Lúcia foi professora de nomes como Clarice Niskier e Zezé Polessa. Rec. a partir de 4 anos.
    Saiba mais
  • De volta ao palco, a clássica história narra as aventuras do personagem do título (interpretado por Rafael de Oliveira). O menino que não quer crescer vive na Terra do Nunca em eterno conflito com o pirata Capitão Gancho (Alison Weler). Direção de Roberto Resende (50min). Rec. a partir de 2 anos. Estreou em 21/2/2016. Teatro Vanucci (450 lugares). Rua Marquês de São Vicente, 52, Loja 346, ☎ 2274-7246. → Sábado e domingo, 17h10. R$ 60,00. Bilheteria: a partir das 14h (ter. a dom.). Até o dia 28.
    Saiba mais
  • A ideia é fazer com que adultos voltem a ser crianças e os pequenos brinquem como antigamente. Com assumido toque de nostalgia, o show Roda de Cantigas é protagonizado por Zé Zuca — conhecido como o apresentador do programa de auditório Rádio Maluca, veiculado na Rádio Nacional. À frente da Banda de Brinquedo, ele convoca o público a participar da interpretação de antigas canções folclóricas. Na trilha sonora, Ciranda, Cirandinha, O Cravo e a Rosa, Samba Lelê e Se Esta Rua Fosse Minha serão ouvidas em arranjos assinados por Magro Waghabi (1943-2012), do grupo MPB-4, Marco Aurêh e Maurício Durão. No trabalho, o trio recorreu a gêneros da música popular brasileira, a exemplo de baião, marcha, frevo e samba de roda. Rec. a partir de 2 anos.
    Saiba mais
  • Gabriel Sant’Anna e Martha Paiva, da Cia. do Solo, apresentam a história do circo e de Benjamim de Oliveira, o primeiro palhaço negro do Brasil. Bonecos, números de picadeiro e música ao vivo envolvem o enredo. Rec. a partir de 5 anos. 
    Saiba mais

Fonte: VEJA RIO