MEU ESTILO

Com Ike Cruz

Por: Ernesto Neves - Atualizado em

Divulgação
(Foto: Redação Veja rio)

Ele é responsável pela carreira de estrelas da TV e do cinema como Juliana Paes, Eriberto Leão e Rodrigo Santoro. Dos contratos que seus agenciados assinam até a imagem deles na mídia, tudo passa pela supervisão do empresário Ike Cruz, dono da agência Actors and Arts. Para aceitar um cliente, o administrador de carreiras diz ser fundamental ter uma boa primeira impressão. "Já recusei gente porque não senti empatia", conta.

É possível manter uma rotina cuidando da vida de tanta gente famosa?

Procuro fazer as minhas coisas na primeira parte do dia. Corro logo nas primeiras horas. É ótimo porque além de aliviar o stress, me dá condições de ter ideias e de organizar como vai ser o restante do tempo.

Você é muito assediado por pessoas desse meio?

Sim, esse tipo de trabalho atrai muita gente, é normal.

E qual o critério da escolha de seus agenciados?

É muito subjetivo. Envolve a intuição, sentir que aquela pessoa tem potencial para crescer. E tem também a empatia.

Mas o convite para entrar na sua agência parte de você ou de quem deseja tê-lo como empresário?

Varia. Já recusei gente que achei boa porque não senti empatia por ela. Às vezes, vejo um bom profissional que não sinto vontade de trabalhar. Não tem regra mesmo.

O que você acha que é fundamental para conseguir sucesso no mundo artístico?

Conheço muitas pessoas que querem primeiro desfrutar dos benefícios que a profissão oferece. Só depois vem a "paixão" por atuar. A lógica tem que ser inversa. O sucesso virá como consequência do seu bom desempenho profissional.

Você costuma barrar muitos pedidos para seus agenciados?

Esse é meu trabalho. Estamos ali para poupar os atores. Existem segmentos que não são pertinentes ao ator. Festa de final de ano de empresa, aniversário particular de alguém, o que uma atriz minha vai fazer no aniversario de alguém que nunca viu?

E já precisou dar um puxão de orelhas em algum cliente?

Tento direcionar as pessoas, não deixar que ela se exponha da forma errada. No Twitter, teve uma vez que um famoso contou ter passado o fim de semana em São Paulo, mas que preferia o Rio. Muita gente da rede rebateu: ?não volta mais pra São Paulo então?. O que ele ganhou com isso? Nada.

De que forma a imagem ruim pode atrapalhar o ator?

Todos querem ser garotos-propaganda de marcas famosas. Mas as campanhas publicitárias são baseadas em pesquisa de consumidor. Se o ator é mal visto, vai aparecer na pesquisa que ele é antipático, vai ser rejeitado. Não precisa virar um boneco, mas tem que raciocinar antes de falar.

Que celebridade, brasileira ou estrangeira, você acha que precisa ajustar seu comportamento em público?

O Charlie Sheen está desgovernado, não há nada que o agenciador possa fazer se ele não quiser melhorar. As pessoas confundem assessor de imagem com mágico.

E qual a melhor atriz da TV atualmente?

Cláudia Abreu. Ela faz falta quando está fora do ar.

Você disse que é como um irmão de seus clientes, mas já namorou atrizes. Como separar o lado profissional do lado pessoal?

A Thaila (Ayala, atriz da Rede Globo, com quem teve um relacionamento) tinha acesso à minha intimidade, por exemplo. Mas os assuntos da Juliana Paes, da Sophie Charlotte ou do Rodrigo Santoro, não eram pertinentes a ela. E isso sempre ficou bem claro.

Fonte: VEJA RIO