CONSUMO

O gigante ficou maior

O BarraShopping amplia sua área e traz grifes internacionais que estreiam no mercado carioca

Por: Ernesto Neves

Cládui Lara/divulgação
(Foto: Redação Veja rio)

Nenhum outro centro comercial carioca está tão atrelado à história do bairro quanto o BarraShopping, símbolo patente do desenvolvimento exponencial daquele trecho da cidade. Considerado ponto nevrálgico da região devido a seu gigantismo, o complexo prepara-se agora para inaugurar sua sexta expansão. Programada para entrar em funcionamento na próxima terça (10), a nova área mobilizou investimentos da ordem de 243 milhões de reais e demorou um ano e meio para ficar pronta. Construído em terreno antes ocupado pelo estacionamento, o espaço complementar tem dois pavimentos com 55 lojas. Entre elas, destacam-se duas estreantes no mercado do Rio. Referência no varejo de moda casual, a americana Gap faz seu desembarque por aqui. Mesmo percurso da Desigual, grife espanhola da chamada fast-fashion. Também aporta no lugar a segunda filial carioca da Forever 21, loja que atrai sempre uma legião de consumidoras. "Ao trazermos marcas inéditas, ampliamos o mix de opções que faz a fama do BarraShopping", diz Eduar­do Novaes, diretor-superintendente do grupo Multiplan, que controla dezoito empreendimentos similares no país.

Com a ampliação, a empresa espera incrementar o movimento no complexo, que faturou no ano passado 1,7 bilhão de reais, com público consumidor estimado em 26 milhões de pessoas. Para se ter uma ideia dessa ordem de grandeza, são quase 10 milhões a mais que o total de passageiros que passaram pelo Aeroporto do Galeão em 2013. Além da seção dedicada ao vestuário, outro setor do shopping que ganha um reforço considerável é o de recreação infantil. Com 480 metros quadrados, a nova área voltada para as crianças é o dobro da atual. Chamada de Barra Kids, dispõe de um pequeno cinema, estação de videogame, oficina para trabalhos manuais, minigolfe, campo de futebol e pista de automodelismo. Na parte gastronômica, o principal chamariz é a hamburgueria PJ Clarke?s, casa de origem nova-iorquina que abre seu primeiro ponto por aqui. Também entra para o leque de alternativas a sorveteria premium Bacio Di Latte. Até o fim do ano, está prevista ainda a ampliação do centro médico, que ocupará o 2º e o 3º piso do pedaço recém-construído.

Clique e veja o passo a passo do crescimento do Barra Shopping

Lá se vão 33 anos desde que as Frenéticas cantaram em um comercial de TV a chegada do "shopping show". Instalado em meio à vastidão de terrenos baldios que caracterizavam a região, ele já nasceu grande. Inicialmente possuía um pavimento, pelo qual se espalhavam 100 lojas, seis vezes menos que a quantidade atual. Mas ainda assim, à época, era tido como o maior shopping da América Latina, posto que não ostenta mais nem dentro dos limites do município. Ao levar para a Zona Oeste algumas das principais redes do país, entre elas a finada Mesbla, a C&A e as Lojas Americanas, o BarraShopping funcionou como um catalisador do crescimento do bairro, que contava com 50?000 moradores, população hoje quadruplicada. Com a oferta de serviços e lazer, os terrenos do entorno valorizaram-se, atraindo condomínios residenciais e outros centros comerciais. Desde então, seu tamanho aumentou significativamente, em decorrência dos acréscimos realizados em 1982, 1985, 1987, 1994 e 2003, esse último caracterizado pela fusão com o New York City Center (veja o quadro). "No começo, éramos voltados principalmente para atender os moradores do bairro", conta Jussara Nova Raris, superintendente do shopping. "Hoje, atraímos também a massa de trabalhadores das empresas próximas e cariocas de diversas regiões", compara.

Os investimentos do BarraShopping se inserem na renovação pela qual passa o setor imobiliário comercial carioca ? em especial, naquela região. Aberto há pouco mais de seis meses, o Shopping Metropolitano, na Avenida Abelardo Bueno, abriga 210 lojas, quinze delas consideradas âncoras. Possui ainda um jardim vertical de 1?600 metros quadrados, registrado no Guinness Book como o segundo maior do mundo. Também no último ano, o CasaShopping teve injeção de investimentos da ordem de 150 milhões de reais para a abertura de trinta lojas. Uma atração à parte no local é o projeto arquitetônico assinado pelo israelense Nir Sivan, que consiste em uma estrutura composta de 355 placas de vidro. Até 2016, deve ganhar ainda um hotel e um centro de convenções. Com tantas novas opções de consumo, o cuidado agora é para não estourar o cartão de crédito.

Fonte: VEJA RIO