CINEMA

Sucesso no bis

Em Mesmo Se Nada Der Certo, o diretor de Apenas uma Vez volta ao universo da música, agora com estrelas no elenco

Por: Tiago Faria

DIVULGAÇÃO
(Foto: Redação Veja rio)

AVALIAÇÃO ✪✪✪

Um desafio costuma tirar o sono de músicos independentes que, por sorte, conseguem emplacar um sucesso: como agradar a um público amplo sem trair o próprio estilo e a confiança dos fãs? Em Mesmo Se Nada Der Certo, sua primeira comédia romântica rodada nos Estados Unidos, o diretor irlandês John Carney enfrenta teste parecido. Ele foi bem-sucedido em Apenas uma Vez (2006), romance musical de baixo orçamento encenado nas ­ruas de Dublin. Depois de vencer o Oscar de melhor canção (por Falling Slowly) e inspirar peça na Broadway, subir alguns degraus seria o caminho lógico. Felizmente, a transição se dá sem solavancos numa produção mais robusta e valorizada por elenco de estrelas. Novamente embalado por folk rock, o filme é um sincero elogio à integridade musical. Gretta (Keira Knightley, cativante também como cantora) compõe sem ambições. Seu namorado, o guitarrista Dave Kohl (Adam Levine, da banda Maroon 5), segue caminho pop. Depois de fechar contrato com uma gravadora, ele logo se deslumbra com a nova vida e abandona Gretta. Antes de fazer as malas, a moça vai dar uma palinha num bar. Na plateia, um produtor em má fase (Mark Ruffalo) se encanta por aquele talento ainda cru. Do encontro surge o projeto de gravar um disco ao ar livre em Nova York. Elegantemente informal, a fita de Carney segue uma lição dos bons grupos de rock: recicla uma fórmula conhecida sem abrir mão de seu repertório pessoal. Direção: John Carney (Begin Again, EUA, 2013, 104min). 12 anos. Estreou em 18/9/2014.

Fonte: VEJA RIO