CINEMA

Suspense por uma hora

Embora embalado por uma premissa instigante,Sétimo deixa a desejar na conclusão

Por: Miguel Barbieri Jr.

sétimo
Ricardo Darín e Belén Rueda: filhos desaparecidos (Foto: DIVULGAÇÃO)

AVALIAÇÃO ✪✪

Também em cartaz no surpreendente filme em episódios Relatos Selvagens, o ator Ricardo Darín volta à tela no intrigante suspense Sétimo. Tudo se passa num único dia e capta a agonia do advogado Sebastián, papel do astro argentino. Separado da esposa espanhola (Belén Rueda), que quer mudar para seu ­país de origem levando o casal de filhos, Sebastián está às voltas com um julgamento problemático em Buenos Aires. Para piorar sua jornada, horas antes da audiência as crianças desaparecem dentro do edifício onde moram com a mãe. O pai sente o peso da culpa porque estava responsável por levá-las à escola. Começa aí uma trama nervosa, pontilhada de reviravoltas, mistérios e clima hitchcockiano. Durante uma hora, o longa consegue ter uma história plausível e hipnótica. A partir daí, parece dar  a louca no roteirista (e diretor) catalão Patxi Amezcua. As soluções encontradas são apressadas e o desfecho deixa um gosto de frustração. Direção: Patxi Amezcua (Séptimo, Espanha/Argentina, 2013, 88min). 12 anos. Estreou em 27/11/2014.

Fonte: VEJA RIO