CINEMA

Trilha sonora para São Paulo

O documentário Lira Paulistana e a Vanguarda Paulista retoma histórias dos anos 80

Por: Miguel Barbieri Jr. - Atualizado em

roteiro-cinema-02-abre.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

Em 1979, no começo do fim do período militar, uma turma de amigos abriu o Lira Paulistana. Era um teatro em São Paulo, num porão da Rua Teodoro Sampaio, número 1091, que reunia a nata da música de vanguarda da época. Pelo palco da casa, onde cabiam 300 pessoas, passaram de Cida Moreira a Ultraje a Rigor. Os grupos Premeditando o Breque, Rumo e Língua de Trapo sempre marcavam presença, assim como Itamar Assumpção, a prata da casa. O documentário, dirigido por Riba de Castro (um dos sócios do Lira), possui a nobre finalidade de retomar essa história por meio de nostálgicas imagens de arquivo e depoimentos entusiasmados. Entre eles, os de Fernando Meirelles, Marcelo Tas, Laura Finocchiaro e Paulo Lepetit. O Lira cresceu muito em meados da década de 80. Teve gravadora, editora, um jornal e expandiu seu território até a Praça Benedito Calixto. Embora em seus quinze minutos finais se torne repetitivo nos elogios rasgados, o filme é um registro de respeito que fazia falta na filmografia documental brasileira.

✪✪✪ Lira Paulistana e a Vanguarda Paulista, de Riba de Castro (Brasil, 2013, 97min). Livre. Estreou em 15/11/2013. Espaço Itaú de Cinema 3.

Fonte: VEJA RIO