CINEMA

Juan dos Mortos

O irreverente filme cubano é uma comédia de terror de fundo político em que a crítica à ilha de Fidel fica evidente

Por: Miguel Barbieri Jr. - Atualizado em

AVALIAÇÃO ✪✪✪

Divulgação
(Foto: Redação Veja rio)

Em geral, os poucos longas-metragens que chegam de Cuba até nós são registros dramáticos ? a exemplo do recente Uma Noite, de Lucy Mulloy, que ganhou pré-estreia na cidade em junho. A irreverente fita de Alejandro Brugués oferece uma deliciosa subversão: trata-se de uma comédia de terror de fundo político na qual a crítica à ilha de Fidel fica evidente. Segundo o roteiro, escrito pelo próprio diretor, Havana foi tomada por mortos-vivos. Juan (Alexis Díaz de Villegas), um vagabundo indolente, tira proveito da situação e começa a ganhar uma grana dos vivos que querem se livrar de seus parentes-zumbis. Ao lado do inseparável amigo Lazaro (Jorge Molina), o protagonista vai tentar dar cabo dos inimigos, a quem a TV chama de "dissidentes". Propositadamente sanguinolenta e trash, embora também recorra a uns efeitos visuais bacanas, a sátira faz rir e refletir sobre a rea­lidade daquele país. Direção: Alejandro Brugués (Juan de los Muertos, Espanha/Cuba, 2011, 92min). 16 anos. Estreou em 12/7/2013.

Fonte: VEJA RIO