RUMO AO OSCAR

Baseado em fatos reais, Foxcatcher teve cinco indicações

Drama fala sobre a relação conturbada entre um medalhista de ouro em luta greco-romana, seu irmão e treinador, e um ricaço da indústria química

Por: Miguel Barbieri Jr.

foxcatcher
Steve Carell e Channing Tatum:relação de trágicas consequências (Foto: Reprodução)

AVALIAÇÃO ✪✪✪ 

Em 1987, Mark Schultz (Channing Tatum), medalhista de ouro em luta greco-romana na Olimpíada de Los Angeles, treinava para, um ano depois, ganhar uma vaga nos Jogos seguintes, em Seul. Schultz, um cara retraído, sem amigos nem namorada, tinha em Dave (Mark Ruffalo), o irmão mais velho e instrutor, uma sustentação emocional paterna. Tudo mudou quando ele recebeu um convite do milionário John Du Pont (Steve Carell). Com uma academia de primeira linha em sua fazenda, chamada Foxcatcher, o ricaço bancou a estada, o treinamento e um gordo salário anual para ter Schultz sob seu domínio. Herdeiro de uma família do ramo da indústria química, Du Pont, afável no primeiro contato, mostrou-se um homem ardiloso no decorrer dos meses seguintes. O terceiro longa-metragem de Bennett Miller, de Capote e O Homem que Mudou o Jogo, também é inspirado em história real. Embora o subtítulo nacional seja exagerado, chega a surpreender o destino trágico que os personagens tiveram. O roteiro não vai fundo na intimidade de seus dois protagonistas, mas, sustentado em mistérios, opta por uma abordagem psicológica de uma tragédia anunciada. Direção: Bennett Miller (Foxcatcher, EUA, 2014, 129min). 14 anos. Estreou em 22/1/2015.

Oscar 2015: o longa recebeu indicações a melhor direção, ator (Steve Carell), ator coadjuvante (Mark Ruffalo), roteiro originale cabelo e maquiagem.

foxcatcher
Steve Carell e Channing Tatum:relação de trágicas consequências (Foto: Reprodução)

Fonte: VEJA RIO