CINEMA

Tensão permanente no ar

Ambientado quase integralmente dentro de um avião, Sem Escalas tem pique e suspense para segurar a plateia até o fim

Por: Miguel Barbieri Jr. - Atualizado em

Divulgação
(Foto: Redação Veja rio)

Oator irlandês Liam Neeson já foi indicado ao Oscar, em 1994, pela atuação em A Lista de Schindler. De uns anos para cá, já cinquentão, mudou o rumo da carreira para virar um herói de fitas de ação. Após alguns filmes lamentáveis, Neeson ressurge nesse suspense praticamente todo ambientado dentro de um avião. Surpresa: a trama de Sem Escalas não cai um minuto e segura a plateia em tensão permanente, ainda que tenha lá seus absurdos. Neeson interpreta Bill Marks, passageiro de um voo de Nova York a Londres, que vive um pesadelo até chegar (e se chegar) ao destino. Visivelmente estressado, Marks bebe muito e até fuma no banheiro da aeronave. Mas seu controle vai mesmo para o espaço quando começa a receber torpedos pelo celular. Um estranho pede que ele deposite uma fortuna em sua conta para não acionar uma bomba em pleno ar. Impondo sua posição de policial federal aéreo, o protagonista se apoia em uma passageira (Julianne Moore) e nas comissárias para que o ajudem a encontrar o sujeito. Embora as ameaças sejam constantes, nenhuma das pessoas a bordo parece suspeita. Conclusão: Marks estaria paranoico? Direção: Jaume Collet-Serra (Non­Stop, EUA/França, 106min). 12 anos. Estreou em 28/2/2014.

Dublado: Cine Carioca Méier 3, Cinemark Carioca Shopping 6, Cinespaço Boulevard 5, Kinoplex Grande Rio 6, Kinoplex Madureira Shopping 2, Kinoplex Nova América 1, Kinoplex West Shopping 3, Shopping Bay Market 2, UCI ParkShopping Campo Grande 5. Legendado: Cine Carioca Méier 3, Cinemark Botafogo 3, Cinemark Downtown 5 e 10, Cinemark Plaza Shopping 7, Cinépolis Lagoon 4, Espaço Rio Design 3, Iguatemi 5, Kinoplex Leblon 3, Kinoplex Madureira Shopping 2, Kinoplex Nova América 3, Kinoplex Tijuca 2, Rio Sul 4, Roxy 2, São Luiz 1, UCI Kinoplex NorteShopping 6 e 7, UCI New York City Center 17 e 18, Village Mall 3.

Fonte: VEJA RIO