CINEMA

Adeus a Harry Potter

Daniel Radcliffe faz uma boa tentativa de se livrar do bruxo na fita de terror A Mulher de Preto

Por: Miguel Barbieri Jr. - Atualizado em

AVALIAÇÃO ✪✪✪

Divulgação
(Foto: Redação Veja rio)

Por uma década (2001-2011), Daniel Radcliffe ficou preso ao papel do bruxo Harry Potter. A única vez em que saiu do personagem, interpretado nos oito longas-metragens da cinessérie, foi no fraco drama Um Verão para Toda Vida, de 2007, quando já se portava como um pós-adolescente. O suspense de terror A Mulher de Preto apresenta, finalmente, seu momento da virada. Aos 22 anos, o ator inglês amadureceu e fez uma escolha acertada para mudar de tipo e, pelo menos por enquanto, dar adeus à fantasia e aos enredos infantojuvenis.

Radcliffe, adulto e de novo visual (com costeletas e barba por fazer), vive Arthur Kipps, advogado viúvo e pai de um garotinho na Londres do início do século XX. Sua mulher morreu no parto e ele tem adoração pelo menino. Fica, portanto, desgostoso por deixar o filho para resolver pendências de um testamento num remoto vilarejo do litoral. Lá, depara com uma recepção nada hospitaleira. Os moradores não gostam do estranho e insistem para que ele parta logo dali. Relutante em abandonar o serviço, ele vai até a mansão onde morava a viúva que perdeu um filho em circunstâncias misteriosas ? o corpo dele nunca foi encontrado. Outros casos de morte de crianças chegam aos ouvidos de Arthur. Durante as investigações sobre o passado dos donos do casarão, ele começa a ver vultos de uma mulher de preto. Seria algo real, uma ilusão ou um fantasma à espreita?

Produzido pela Hammer, A Mulher de Preto tem atrativos para reviver o boom da lendária produtora britânica de fitas de terror nas décadas de 50 e 60. Mesmo feito de sustos raros, o filme traz um bom clima de tensão e ambiência funérea. O desfecho também surpreende, embora a derradeira imagem aponte para algo espírita brega. E Radcliffe funciona? Empenhado e maduro, deixou, sim, Harry Potter para trás. Só o tempo dirá se ainda fará sucesso daqui em diante.

A Mulher de Preto, de James Watkins (The Woman in Black, Inglaterra/Canadá/Suécia, 2012, 95min). 14 anos. Pré-estreia: Box Cinemas São Gonçalo 2, Cine 10 Sulacap 5, Cinemark Downtown 1, Cinespaço Boulevard 6, Iguaçu Top 2, Iguatemi 7, Kinoplex Grande Rio 4, Kinoplex Nova América 3, Kinoplex West Shopping 3, UCI New York City Center 8, UCI Kinoplex NorteShopping 9. Estreia prometida para sexta (24).

Fonte: VEJA RIO