CINEMA

Festa no Céu, colorido ímpar e um triângulo amoroso

Animação dirigida pelo mexicano Jorge R. Gutierrez narra a disputa entre Joaquin e Manolo pelo coração da adorável Maria

Por: Miguel Barbieri Jr.

festa no céu
Joaquin, Manolo e Maria: triângulo amoroso no México (Foto: Reprodução)

Diretor de Hellboy e Círculo de Fogo, o mexicano Guillermo Del Toro volta às origens como produtor desta animação escrita e dirigida por seu conterrâneo Jorge R. Gutierrez. Embora o pano de fundo seja o Dia dos Mortos, uma notável celebração no México, há raros momentos para assustar a criançada. O foco está em um triângulo amoroso formado, na infância, por Manolo, Joaquin e pela adorável Maria. Por causa de uma confusão causada pelos garotos, o pai dela a despacha para a Espanha. Anos depois, Maria retorna como uma mulher bonita, feminista e ainda disputada pelos rapazes. Manolo, obrigado pelo pai a ser toureiro, prefere a ocupação de músico. Já o dissimulado Joaquin ganhou força num acordo com o sobrenatural e, petulante, quer conquistar o coração de Maria no muque. Sem ir muito adiante na trama, dá para dizer que um dos personagens vai parar no alegre e festivo mundo do além, ponto alto de um visual de colorido ímpar. Direção: Jorge R. Gutierrez (The Book of Life, EUA, 2014, 95min). Livre. Estreou em 16/10/2014. 

Fonte: VEJA RIO