CINEMA

O fim da solidão. Só que não

A comédia dramática Ela traz a original história de um homem que se apaixona por uma mulher virtual

Por: Miguel Barbieri Jr. - Atualizado em

AVALIAÇÃO ✪✪✪✪

divulgação
(Foto: Redação Veja rio)

Spike Jonze já deu provas de ser um cineasta muito acima da média em filmes como Adaptação e Onde Vivem os Monstros. Em ambos os casos, o diretor comandava uma história escrita por outro. Esta comédia dramática é, portanto, o primeiro longa-metragem com roteiro original e direção do próprio Jonze. Não à toa, Ela recebeu cinco indicações ao Oscar: melhor filme, desenho de produção, trilha sonora, canção e, claro, roteiro original, ponto fortíssimo do trabalho. A trama se passa num futuro próximo em Los Angeles, mas teve cenas externas rodadas em Xangai, na China. Nela, Theodore (Joaquin Phoenix) sente-se solitário porque está prestes a assinar o divórcio da mulher (Rooney Mara). Seu emprego, criativo porém metódico, consiste em escrever cartas para clientes pelo computador. Do mundo virtual, vem a recompensa para os dias amargos. Theodore compra um aparelho de inteligência artificial e dele sai a voz de veludo de Samantha (Scarlett Johansson). Não demora para o protagonista se derreter pelos deliciosos papos da nova companhia e transformá-la em sua namorada, e ela corresponde com a mesma intensidade. A imaginação ilimitada do realizador joga o espectador num enredo de ficção científica sem escalas na realidade. É preciso embarcar no excêntrico ponto de partida para desfrutar o humor melancólico. A tristeza profunda com que Jonze aborda os relacionamentos afetivos traz, no entanto, uma evidência latente. Direção: Spike Jonze (Her, EUA, 2013, 126min). 14 anos. Estreou em 14/2/2014.

Fonte: VEJA RIO