CINEMA

Coisas do coração

Domingos Oliveira retorna às telas com dois longas-metragens de baixo orçamento e boas reflexões sobre relacionamentos

Por: Miguel Barbieri Jr. - Atualizado em

fotos divulgaçÃo
(Foto: Redação Veja rio)

Em 28 de setembro, Domingos Oliveira completou 77 anos. Ele, contudo, mantém o pique em frente e atrás das câmeras. Sua filmografia consiste, basicamente, em abordar relacionamentos amorosos de acordo com sua maneira de pensar. São fitas autorais, nas quais ele também atua na maioria das vezes, que tratam das complexas relações que envolvem os sexos opostos. Seus recentes trabalhos, ambos transitando entre a comédia, o romance e o drama, chegam juntos às telas. Em Primeiro Dia de um Ano Qualquer, Maitê Proença interpreta uma colunista que, em sua casa na serra fluminense, recebe uma turma de amigos no réveillon. Num acalorado debate dos personagens sobre infidelidade conjugal, casais se desfazem e nascem novos pares. Em um dos quiproquós, surge a dúvida da protagonista sobre namorar um cara bem mais jovem, possivelmente interessado em sua jovem filha (Tammy Di Calafiori). O estilo de Oliveira está em cena: diálogos saborosos em uma realização despretensiosa, toda ambientada na bela propriedade de Maitê. Um pouco ?arrumadinho?, talvez por ser baseado em sua peça Turbilhão, Paixão e Acaso flagra um triângulo amoroso incomum. Há muitos anos sem transar, a psicanalista Inês (Vanessa Gerbelli) se encanta com um rapaz sedutor (papel de Pedro Furtado). Logo depois, conhece um pianista viúvo (Aderbal Freire-­Filho). Mal sabe ela que se apaixonou por pai e filho. O roteiro abre espaço para dois dispensáveis pacientes da analista, mas a história segue acesa pelos tumultuados casos de amor dela.

✪✪✪ Paixão e Acaso, de Domingos Oliveira (Brasil, 2013, 83min). 12 anos. Estreou em 29/11/2013. Estação Rio 3, Estação Vivo Gávea 1.

✪✪✪ Primeiro Dia de um Ano Qualquer, de Domingos Oliveira (Brasil, 2013, 81min). 12 anos. Estreou em 29/11/2013. Estação Rio 3, Estação Vivo Gávea 1.

Fonte: VEJA RIO