cariocas na telona

Caixa Cultural celebra cidade do Rio em mostra

A partir desta terça (8),  53 curtas e longas-metragens que retratam a representação do Rio no cinema. Ingressos a R$ 4,00

Por: Redação VEJA RIO - Atualizado em

Cidade de Deus
Cidade de Deus (Foto: Divulgação)

No ano em que celebra seu 450º aniversário, a Cidade Maravilhosa está com tudo e não está prosa. Na mostra “Imaginários Cariocas: A representação do Rio no cinema”, a Caixa Cultural exibe 53 curtas e longas-metragens, que jogam luz a forma como a cidade foi pensada e retratada em títulos de diferentes épocas. Divididos em subtemas como paraíso, solidão, mito, promessa, caos e medo, os filmes trazem às telas personas consagradas ao longo dos 120 anos de produção cinematográfica no Rio.

+ Fique de olho nos 30 filmes na programação do Rio

+ Ação O Agente da U.N.C.L.E. estreia no circuito carioca 

A partir desta terça (8), a mostra reexibe os longas Orfeu Negro (1959), de Marcel Camus, Terra em Transe (1967), de Glauber Rocha, Nos embalos de Ipanema (1978), de Antonio Calmon, Tim Maia (1987), de Flávio Tambellini, Carlota Joaquina (1995), de Carla Camurati, e Cidade de Deus (2002), de Fernando Meireles e Kátia Lund. Na sessão de abertura, Hernani Heffner, um dos curadores da exposição, ministrará a palestra “O Cinema encontra o Rio”. Em cartaz de terça a domingo até o próximo dia 27 de setembro, o ingresso da mostra sai a R$ 4,00 (inteira) e R$ 2,00 (meia-entrada).

+ Festival Internacional de Cinema Infantil reúne mais de 100 filmes

+ Nova edição do Festival Animaldiçoados exibe fitas de terror

Confira a programação completa:

Terça, 8/9

16h – Sessão de Curtas

Cidade do Rio de Janeiro – Humberto Mauro, 1948, (31min) Livre

Rio, uma visão do futuro – Xavier de Oliveira, 1966, (10 min) Livre

Rio, capital mundial do cinema – Arnaldo Jabor, 1968, (14 min) Livre

A cidade cresce para a Barra – Paulo Roberto Martins, 1970, (10 min) Livre

Na trilha do bonde – Virginia Flores, Rodolfo Caesar e Alexandre Fenerich, 2009, (29 min) Livre

18h30 – Sessão gratuita de abertura, com acompanhamento da banda Bagunço

O que foi o carnaval de 1920! – Alberto Botelho, 1920, (15 min) Livre

Fragmentos da Terra Encantada – Silvino Santos, 1922, (40 min) Livre

Jornal Carioca – Anônimo, 1930-1935, (13 min) Livre

Movimento urbano do Rio de Janeiro – Anônimo, 1935, (10 min) Livre

Quarta, 9/9

16h – Cinema Novo – Joaquim Pedro de Andrade, 1967, (32 min) +A grande cidade – Carlos Diegues, 1966, (80 min) 16 anos

19h – Ipanema, adeus – Paulo Roberto Martins, 1975, (88min) 12 anos

Orfeu NegroImagem

Quinta, 10/9

16h – Orfeu Negro – Marcel Camus, 1959, (100min) 14 anos

19h10 – Babilônia 2000 – Eduardo Coutinho, 1999, (80min) Livre

Orfeu Negro
Orfeu Negro (Foto: Divulgação)

Sexta, 11/9

16h – Tim Maia – Flávio Tambellini, 1987, (15 min) + Nos embalos de Ipanema – Antonio Calmon, 1978, (100 min) 18 anos

19h10 – Eu transo, ela transa – Pedro Camargo, 1972, 16mm (102min) 18 anos

Sábado, 12/9

14h – Em busca de um lugar comum – Felippe Mussel, 2012, (80 min) Livre 16h – O uivo da gaita – Bruno Safadi, 2013, (75min) 14 anos

18h – Debate: Arte carioca: um futuro?, com Bruno Safadi, Felippe Mussel, Leticia Novaes (da banda Letuce) e Opavivará.

Domingo, 13/9

15h – Meu cumpadre Zé Kéti – Nelson Pereira dos Santos, 2001, (12 min) + Rio Zona Norte – Nelson Pereira dos Santos, 1957, (86min) Livre

17h – Marcelo Zona Sul – Xavier de Oliveira, 1970, (98min) Livre *Sessão com presença do diretor

19h – Ópera do Malandro – Ruy Guerra, 1986, (110 min) 14 anos * Sessão com entrada gratuita

Terça, 15/9

18h – Amor, carnaval e sonhos – Paulo Cesar Saraceni, 1972, (75min) 14 anos

19h45 – A lira do delírio – Walter Lima Jr., 1978, (105 min) 16 anos

Carlota Joaquina, Princesa do BrazilImagem

Quarta, 16/9

18h – Maria 38 – Watson Macedo 1959, (94min) Livre

19h45 – Lá e cá – Sandra Kogut, 1995, (25min) + Bete Balanço – Lael Rodrigues, 1984, (78min) 16 anos

Quinta, 17/9

18h – Copacabana mon amour, Rogério Sganzerla, 1970, (85min) 14 anos

19h45 – Copacabana me engana, Antonio Carlos Fontoura, 1968, (93min) 16 anos

Sexta, 18/9

18h – A navalha na carne – Braz Chediak, 1969 (99 min) 18 anos

19h55 – O Mandarim – Julio Bressane, 1995, (90min) 16 anos

Carlota Joaquina, Princesa do Brazil
Carlota Joaquina, Princesa do Brazil (Foto: Divulgação)

Sábado, 19/9

15h – Picolé, pintinho e pipa – Gustavo Melo, 2006, (16 min) +Ladrões de cinema – Fernando Coni Campos, 1977, (127 min) 16 anos

18h – Masterclass: O cinema encontra o Rio, com Hernani Heffner

Domingo, 20/9

14h30 – O abismo prateado – Karim Aïnouz, 2013, (84 min) 14 anos

16h30 – 24 horas de sonho – Chianca de Garcia, 1941, (86 min) 16 anos

18h30 – Geraldo Voador – Bruno Vianna, 1994, (10 minutos) + Cidade de Deus, Fernando Meireles e Kátia Lund, 2002, (130 min) 16 anos

Terça, 22/9

18h – Agulha no palheiro – Alex Viany 1952, (95 min) 16 anos

19h45 – Esse amor que nos consome – Alan Ribeiro, 2012, (80min) 12 anos

Tim Maia, o filmeImagem

Quarta, 23/9

18h – Maxixe, a dança proibida – Alex Viany, 1980, (32 min) + Funk Rio – Sérgio Goldenberg, 1994, (45 min) 14 anos

19h30 – Terra em transe – Glauber Rocha, 1967, (115 min) 14 anos

Quinta, 24/9

18h – Menino da Calça Branca – Sergio Ricardo, 1959, (22min) + Esse mundo é meu – Sergio Ricardo, 1964, (92 min) 14 anos

20h05 – Fábula... Meu lar é Copacabana – Arne Sucksdorff, 1965, (88 min) 16 anos

Tim Maia, o filme
Tim Maia, o filme (Foto: Divulgação)

Sexta, 25/9

18h – Alô, alô, carnaval – Adhemar Gonzaga, 1939, (75min) Livre

19h30 – Vai trabalhar, vagabundo – Hugo Carvana, 1973, (100 min) 16 anos

Sábado, 26/9

14h – As aventuras amorosas de um padeiro – Waldir Onofre 1975, (106 min) 16 anos 

16h – Carlota Joaquina, princesa do Brazil – Carla Camurati, 1995, (107 min) 12 anos 

18h – Debate: Iconografias cariocas, com Joaquim Marçal, Luciano Magno e Maria de Lourdes Horta

Domingo, 27/9

15h – A alegria – Felipe Bragança e Marina Meliande, 2010, 35mm, (100 min), 16 anos

17h – Dominó negro – Moacir Fenelon, 1941, 35mm (85 min) 14 anos

19h10 - Roberto Carlos em ritmo de aventura – Roberto Farias, 1968, DVD (99min) Livre

Fonte: VEJA RIO