CINEMA

E assim se passaram os anos

Os documentários A Farra do Circo e Setenta revisitam o Brasil do passado recente

Por: Miguel Barbieri Jr.

Marcio RM / Divulgação
(Foto: Redação Veja rio)

Buscar um diferencial em registros sobre o período militar no Brasil é uma das qualidades de Setenta. Embora o documentário tenha início com depoimentos de ativismo político e tortura que não fogem do lugar-comum, há um arranque quando o foco recai no tema principal. Em 7 de dezembro de 1970, um grupo de combate à ditadura sequestrou o embaixador suíço Giovanni Enrico Bucher. Eles queriam a liberdade de setenta companheiros e conseguiram. Os presos políticos foram banidos do Brasil e se exilaram no Chile, então comandado pelo presidente socialista Salvador Allende. No filme, dezoito desses "sobreviventes" relembram a transformação em sua vida, sobretudo depois de os militares tomarem o poder no país onde viviam e, assim, obrigá-los a buscar outros rumos. Rico em imagens de arquivo, o longa-metragem mostra empenho no objetivo de iluminar um período de trevas no Brasil. Em outra direção parte A Farra do Circo. Trata-se de uma compilação de imagens, captadas pelo então diretor estreante Roberto Berliner, daquele que foi um dos momentos mais efervescentes da cena cultural na década de 80. O Circo Voador surgiu no verão carioca de 1982 e teve em seu palco de Barão Vermelho a Caetano Veloso. Transferiu-se, então, para a Lapa, onde se fir­mou como uma casa de espetáculos eclética. A maioria dos takes é inédita e vem daí o maior valor do documento. Sem nenhum depoimento atual, contudo, o filme resume-se a um baú de memórias em formato de um vídeo caseiro.

✪✪ A Farra do Circo, de Roberto Berliner e Pedro Bronz (Brasil, 2013, 94min). 14 anos. Estreou em 29/5/2014.

✪✪✪ Setenta, de Emília Silveira (Brasil, 2013, 96min). 12 anos. Estreou em 29/5/2014.

Fonte: VEJA RIO