CINEMA

Anima Mundi

Na 22ª edição, o segundo maior festival internacional de animação do planeta vai exibir 418 filmes de 47 países.

Por: Pedro Tinoco

Fotos divulgação
(Foto: Redação Veja rio)

Na 22ª edição, o segundo maior festival internacional de animação do planeta - atrás apenas de seu equivalente realizado em Annecy, na França - vai exibir 418 filmes de 47 países.

Aída Queiroz, Cesar Coelho, Lea Zagury e Marcos Magalhães, os curadores, selecionaram as produções entre 1?928 candidatos, oriundos de países tão distintos quanto Alemanha, França (duas escolas fortes no gênero), Irã, Índia e Croácia. A programação ocupa o Centro Cultural Light e o Espaço Itaú de Cinema a partir de sexta (25). Oi Futuro Ipanema e Fundição Progresso, o quartel-general do evento, com três salas de exibição, entram no circuito nos dias 27 e 29, respectivamente. Os primeiros momentos da mostra, que fica em cartaz até 3 de agosto, já trazem preciosidades como Padre, do argentino Santiago Bou Grasso, incluído na sessão de sexta (25), às 21h, no Espaço Itaú 1. Realizado em stop motion, com impressionante reprodução de detalhes e cenas que parecem iluminadas por um pintor holandês do século XVII, o curta é uma lúgubre história inspirada pela crueldade da ditadura militar argentina. Protagonizado por dois bonequinhos daqueles típicos de bolo de casamento, o representante alemão Wedding Cake, de Viola Baier, resume de forma brilhante, em oito minutos e trinta segundos, começo, meio e fim comuns a muitos relacionamentos promissores. A história sem final feliz pode ser vista na sexta (25), às 19h, e no sábado (26), no complexo do Espaço Itaú de Cinema. Mais alto-astral, o divertido Forward, March! é uma gozação francesa aos ingleses. A parada de soldadinhos britânicos até começa bem, mas termina em confusão, como se poderá ver no Espaço Itaú 1, na sexta (25), às 23h. Tem muito mais. Confira

a programação completa em www.animamundi.com.br.

Coisas nossas: com 109 títulos e seis coproduções, a animação brasileira é a participante de maior peso no festival

Fonte: VEJA RIO