EXPOSIÇÕES

World Press Photo

Resultado de uma premiação internacional dedicada ao melhor do fotojornalismo produzido a cada ano, a coletiva reúne 143 imagens nesta 57ª edição

Por: Rafael Teixeira

AVALIAÇÃO ✪✪✪

recomenda-expos-abre.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

Resultado de uma premiação internacional dedicada ao melhor do fotojornalismo produzido a cada ano, a coletiva reúne 143 imagens nesta 57ª edição - seleção que o britânico Gary Knight, presidente do júri, defendeu como "uma das mais bem-sucedidas da história da World Press Photo". Cinquenta e três fotógrafos de 25 nacionalidades estão representados, através de registros publicados na imprensa mundial ao longo de 2013. O destaque é a ganhadora do prêmio de foto do ano, feita pelo americano John Stanmeyer para a National Geographic. Nela, migrantes africanos na costa de Djibuti levantam seus celulares, na tentativa de captar um sinal da vizinha Somália e, assim, quem sabe, falar com seus parentes. No entanto, como sempre acontece em qualquer apresentação da mostra, há muito mais para ver. Estão lá os tensos momentos do massacre promovido por terroristas mascarados em um shopping de Nairóbi, no Quênia, em setembro passado, e um terrível flagrante do momento seguinte à explosão de uma bomba na Maratona de Boston, em abril de 2013 - feitos, respectivamente, pelos americanos Tyler Hicks e John Tlumacki. Mais leves, mas ainda assim impactantes à sua maneira, são as fotos de esportes (sempre um ponto alto da seleção de cada ano). Em um feliz flagrante de Emiliano Lasalvia, um jogador de polo cai do cavalo e, no instante do clique, parece estar sendo montado pelo animal. O francês Jeff Pachoud assina um dos exemplares mais lindos da mostra: a imagem aérea de uma corrida de trenós que, à primeira vista, parece uma pintura abstrata.

Caixa Cultural - Galeria 4. Avenida Almirante Barroso, 25, Centro, ☎ 3980-3815, ? Carioca. → Terça a domingo, 10h às 21h. O espaço estará fechado em dias de jogo do Brasil na Copa do Mundo. Grátis. Até 12 de julho.

Atenção: algumas imagens exibidas são fortes. Recomenda-se prudência a visitantes acompanhados de crianças

Fonte: VEJA RIO