EXPOSIÇÕES

Desenhos animados

Artista sul-africano exibe no Instituto Moreira Salles os vídeos que o tornaram famoso

Por: Rafael Teixeira - Atualizado em

Divulgação
(Foto: Redação Veja rio)

Nome de destaque nas artes plásticas, o sul-africano William Kentridge já esteve em três edições da prestigiada Bienal de Veneza, além de ter participado de exposições no MoMA, em Nova York, e no Louvre, em Paris. Essa notoriedade mundial foi conquistada, principalmente, graças a uma série de vídeos em que aborda temas ligados a seu país. Iniciado em 1989 e até o momento com dez curtas, o conjunto, batizado de Drawings for Projection, transformou-se, na definição do próprio autor, no alicerce de sua obra. Trata-se, por isso mesmo, da maior atração da individual William Kentridge: Fortuna, que será aberta na quarta (24), no Instituto Moreira Salles. É a primeira vez em que o artista de 57 anos exibe todos os vídeos em uma única mostra, que traz outros dezessete filmes, além de 38 desenhos, 184 gravuras e dez esculturas. A curadoria é de Lilian Tone, brasileira que trabalha no MoMA.

Na famosa série - que inclui Johanesburgo, Segunda Cidade Mais Importante Depois de Paris (1989), Monumento (1990), Mina (1991), Sobriedade, Obesidade e Envelhecimento (1991), Feliz no Exílio (1994), História da Queixa Principal (1996), Pesando... e Querendo (1998), Estereoscópio (1999), Tábua de Marés (2003) e Outras Faces (2011) -, Kentridge chama atenção pela técnica meticulosa: ele filma, quadro por quadro, alterações graduais que vai fazendo em um desenho, produzido com carvão ou pastel. Vinte e três ilustrações que o artista usou como ponto de partida para esses trabalhos serão apresentadas na mostra, dando ao público a oportunidade de entender melhor o processo, desde o primeiro passo até o resultado final. Ele utiliza essa ideia também nos outros filmes selecionados, concebidos com base em gravuras e mesmo em esculturas, algumas delas em exibição no instituto. O acervo inclui ainda obras que não se relacionam com os curtas, caso de Rinoceronte (2007), uma escultura do animal que é feita de papel.

William Kentridge. Instituto Moreira Salles. Rua Marquês de São Vicente, 476, Gávea, ☎ 3284-7400. → Terça a domingo, 11h às 20h. Grátis. Estac. grátis. Visitas guiadas de terça a sexta, às 17h. Até 17 de fevereiro. A partir de quarta (24). www.ims.com.br.

Fonte: VEJA RIO