Beira Mar

Beira Mar

- Atualizado em

Um Dia das Mães muito especial

beiramar1-tomas-rangel.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

Aos 3 meses e meio de vida, a coisinha fofa aí de cima faz sua primeira pose para uma câmera, às vésperas do Dia das Mães. Se puxar à família, muitos ensaios e cliques virão. A pequenina Stella é filha da atriz Letícia Spiller e do diretor de fotografia Lucas Loureiro. Desde o parto, a artista perdeu 9 dos 12 quilos adicionais da gravidez e já faz planos de retomar em breve a rotina de trabalho. Na segunda quinzena de junho, pretende estrear o musical Outside, de David Bowie, e, até lá, inicia a carreira de produtora de cinema com o curta Joãosinho de Carne e Osso. O protagonista do filme será seu filho mais velho, Pedro, 14 anos, fruto do casamento com o ator Marcelo Novaes. Apesar do pouco tempo de convivência, Letícia já detectou algumas peculiaridades da menina. "Ela é muito musical e tem personalidade forte", diz, com corujice.

Nova rotina, sem quepe nem farda

Fernando Lemos
(Foto: Redação Veja rio)

Conhecida por ter sido a comandante da primeira Unidade de Polícia Pacificadora instalada na cidade, Pricilla Azevedo foi promovida de capitã a major. Não é a única novidade na sua trajetória profissional. Em março, ela deixou o posto no Morro Dona Marta para atuar em um gabinete da Secretaria de Segurança Pública, a convite do superintendente de Planejamento Operacional, Roberto Alzir. Ela leva toda a sua experiência na favela de Botafogo para ajudar no planejamento de novas UPPs. Depois de mais de dois anos de atuação naquele morro, ela passou a conhecer como ninguém seus moradores e vielas e fez amizades por lá. Para matar a saudade, outro dia levou duas meninas da localidade para passear num shopping. Aos poucos, a policial se habitua com a atual função, que ainda lhe causa estranheza. A principal delas é não necessitar mais usar farda nem quepe no dia a dia. "Preciso me acostumar, pois fiquei muito tempo calçando coturno", reconhece.

É brechó, sim, mas de grifes sofisticadas

Fernando Lemos
(Foto: Redação Veja rio)

Mal começaram a garimpar oitenta dos mais bem fornidos guarda-roupas da alta-roda carioca, a ex-modelo Carla Barros e a estilista Daniella Martins conseguiram coletar roupas usadas de grifes do gabarito de Diane von Fürstenberg, Emporio Armani, Mixed e Isabela Capeto. O objetivo é chegar a oitocentas peças, que vão ser leiloadas em uma casa no Jardim Botânico no dia 26, com toda a renda revertida para duas ONGs. Recém-chegada da Europa, Daniella se diz fanzoca de brechós, um tipo de comércio onde sempre conseguiu arrematar produtos de qualidade com ótimos preços. "Minha ideia é que o evento passe aquela sensação de troca de roupas entre amigas", afirma. "Me desapeguei de várias coisas boas que tinha no armário por uma causa nobre", declara a parceira Carla.

Mais música e menos falação

Helia Scheppa / JC Imagem / Folhapress
(Foto: Redação Veja rio)

Vocalista da banda Detonautas, o cantor Tico Santa Cruz ganhou fama por certos exageros que estão na cara ? e não só nela. Tem 60% do corpo tomado por tatuagens, que tornam até difícil distinguir onde acaba a camisa e onde começam os desenhos na pele, como mostra a foto ao lado. Outra característica está sendo deixada no passado. Seus espetáculos invariavelmente pareciam showmícios, com o repertório entremeado o tempo todo com discursos engajados e cansativos para a plateia. Ele decidiu mudar de tática em sua cruzada conscientizadora e iniciou na semana passada o projeto Escola no Palco, no qual reúne jovens para atividades musicais e de poesia. Apesar do histórico, Tico descarta ingressar na política. "Quero fazer oposição artística", declara.Vocalista da banda Detonautas, o cantor Tico Santa Cruz ganhou fama por certos exageros que estão na cara ? e não só nela. Tem 60% do corpo tomado por tatuagens, que tornam até difícil distinguir onde acaba a camisa e onde começam os desenhos na pele, como mostra a foto ao lado. Outra característica está sendo deixada no passado. Seus espetáculos invariavelmente pareciam showmícios, com o repertório entremeado o tempo todo com discursos engajados e cansativos para a plateia. Ele decidiu mudar de tática em sua cruzada conscientizadora e iniciou na semana passada o projeto Escola no Palco, no qual reúne jovens para atividades musicais e de poesia. Apesar do histórico, Tico descarta ingressar na política. "Quero fazer oposição artística", declara.

Excursão à Disney com um guia linha-dura

Divulgação
(Foto: Redação Veja rio)

Campeão pela sétima vez da Superliga feminina, à frente do Rio de Janeiro, o também técnico da seleção masculina Bernardinho se prepara para uma tarefa inédita. Levará um grupo de 120 adolescentes de 10 a 16 anos para fazer uma clínica de vôlei na Universidade Central da Flórida e passear pelos parques da Disney.

Você vai dar bronca na garotada? Cobrarei disciplina. Quero que eles tenham cinco dias de imersão no esporte, como se estivessem numa concentração. Vai ter ralação, mas numa boa.

Aparentemente, você está mais calmo na quadra. Está se policiando? Sempre tento melhorar, mas não venha pisar nos meus calos! Quem me respeita sempre vai ter tratamento recíproco.

O que achou da iniciativa do empresário Eike Batista de montar um supertime na cidade? A atitude dele foi demais. Eu e o vôlei agradecemos de coração.

Fonte: VEJA RIO