EXPOSIÇÕES

Dois séculos de inspiração

Coletiva exibe a paisagem carioca em pinturas e gravuras do século XIX e fotografias de 2011

Por: Carlos Henrique Braz - Atualizado em

AVALIAÇÃO ✪✪✪

almir02.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

Empresário bem-sucedido e patrono das artes, Raymundo Ottoni de Castro Maya (1894-1968) legou à posteridade um formidável acervo de 22?000 obras. De forma periódica, sua antiga residência, hoje o Museu da Chácara do Céu, integrado à rede de instituições do Ministério da Cultura, apresenta parte desse patrimônio em exposições temáticas. Garimpadas da coleção brasiliana de Castro Maya, uma das mais expressivas do país, 22 pinturas e gravuras do século XIX raramente exibidas fazem parte da coletiva Bonito por Natureza: Rio Ontem e Hoje, ao lado de vinte fotografias recentes de Almir Reis e Jaime Acioli. Além de permitir a apreciação da paisagem carioca existente ao longo dos últimos 200 anos, o conjunto reunido pela curadora Anna Paola Baptista propicia divertidas comparações, ao estilo do jogo dos sete erros. Um exemplo: Rio de Janeiro e Seus Arredores, litografia do francês Alfred Martinet, de 1841, mostra Botafogo como um descampado quase virgem. Foto de Almir Reis, Pão de Açúcar Visto do Corcovado flagra o bairro já tomado por edifícios. A mostra guarda outros achados, como as belas gravuras do alemão Emil Bauch e do marinhista inglês Emeric Essex Vidal.

Bonito por Natureza: Rio Ontem e Hoje. Museu da Chácara do Céu. Rua Murtinho Nobre, 93, Santa Teresa, ☎ 3970-1126. Quarta a segunda, 12h às 17h. R$ 2,00. Estac. Grátis para menores de 12 anos, pessoas com mais de 65, grupos escolares e às quartas. Até 19 de setembro. www.museuscastromaya.com.br.

Fonte: VEJA RIO