Exposições

Memórias do cárcere

Carlos Vergara apresenta criações inspiradas pela demolição do Complexo da Frei Caneca

Por: Carlos Henrique Braz - Atualizado em

Gaúcho, 70 anos, cinquenta deles vividos no Rio, o artista plástico Carlos Vergara buscou longe a inspiração para as suas últimas mostras, ambas de 2008. Os trabalhos de O Sagrado Coração, Missão de São Miguel, exibida no Paço Imperial, traziam elementos dos sítios arqueológicos de São Miguel das Missões, no Rio Grande do Sul. E Hüzüm, levada ao Oi Futuro Flamengo, foi resultado de uma viagem à Turquia. Liberdade, que ocupa as Cavalariças do Parque Lage a partir de sábado (21), nasceu aqui mesmo, na varanda de seu ateliê, em Santa Teresa.

Lá do alto, Vergara acompanhou o processo de demolição do Complexo Penitenciário da Frei Caneca, entre março e julho de 2010. Filmou, fotografou e passeou entre os escombros, enquanto refletia sobre alguns dos "hóspedes" ilustres do lugar ? inaugurada em 1850, a prisão acolheu personalidades como o escritor Graciliano Ramos, que, preso por motivos políticos, ali escreveu Memórias do Cárcere. "Aquele lugar tem 58?400 dias de história que uma implosão não pode apagar", diz. Essa experiência vai se traduzir na exibição de dezessete pinturas, além da instalação Empilhamento, criada em 1969, e de três vídeos. Ao ar livre ficará outra instalação, com 32 portas de cela. Cada uma delas ? marcadas por pichações, imagens coladas e inscrições ? servirá de moldura para fotos de cores fortes realizadas nas ruínas e no alto-forno da Siderúrgica Gerdau, onde toda a ferragem foi transformada em pregos e vergalhões.

Carlos Vergara. Escola de Artes Visuais do Parque Lage ? Cavalariças. Rua Jardim Botânico, 414, Jardim Botânico, ☎ 3257-1800. Segunda a quinta, 12h às 20h; sexta a domingo

e feriados, 10h às 17h. Grátis. Até 7 de agosto. A partir de sábado (21), às 14h. www.eavparquelage.rj.gov.br.

Fonte: VEJA RIO