DIVERSÃO

O roteiro das visitas guiadas

Selecionamos museus e espaços culturais cariocas que contam com a ajuda de guias para explicar a rica história da cidade. Na lista estão a Ilha Fiscal, o Museu de Arte Moderna e o Jardim Botânico

Por: Ernesto Neves - Atualizado em

Riotur
(Foto: Redação Veja rio)

Capital do Brasil durante 200 anos, o Rio guarda tesouros que contam a história do país. Entre museus e centros culturais, a cidade conta com opções ecléticas de arquitetura para ser admirada, acervo artístico de dar inveja a capitais europeias e relíquias que pertenceram à única família imperial das Américas. Descobrir os segredos escondidos em corredores de prédios históricos nem sempre é tarefa fácil. Para ajudar, dezenas de museus cariocas oferecem o serviço de visitação guiada, em que a ajuda de historiadores e guias turísticos deixa o passeio muito mais enriquecido culturalmente. Confira abaixo nosso roteiro por locais que contam com o serviço e saiba como contratá-los.

Espaço Cultural da Marinha. Com diferentes atividades culturais e espaços a serem conhecidos, conta com guias em todos eles. Na Ilha Fiscal, assim que os visitantes desembarcam, são recebidos por gentis historiadores, responsáveis por explicar a importância daquele local para a Família Imperial. O Passeio Marítimo realizado pela Baía de Guanabara em um navio da Primeira Guerra também conta com ajuda providencial de um historiador, que explica a importância de Fortes como o São João. A medida também acontece dentro do Museu Naval, que tem entre as peças um barco de Dom João VI folheado a ouro.

Onde: Avenida Alfred Agache s/nº, Praça XV. Passeio da Ilha Fiscal. Saídas de quinta a domingo, às 12h30, 14h e 15h30. R$ 15,00. Passeio marítimo: de quinta a domingo, às13h15 e 15h15. Museu Naval: terça a domingo, às 12h e às 17h.

Riotur
(Foto: Redação Veja rio)

Jardim Zoológico. Uma das atrações mais concorridas do Zoo Rio é o passeio guiado noturno, realizado anualmente durante os meses de junho, julho e agosto. A visitação acontece durasn as terças e quintas, das 18h às 20h, e o valor do ingresso é de R$ 10,00. Inscrições devem ser feitas antecipadamente, através dos telefones 3878-4254 e 2567-9732, de segunda à sexta, das 9h às 16h30.

Onde: Parque da Quinta da Boa Vista, s/n°, São Cristóvão

Museu de Arte Moderna. Dentro da construção de moderna arquitetura projetada pelo arquiteto Affonso Reidy encontra-se um acervo com cerca de 11 000 objetos, que incluem obras de Cândido Portinari, Tarsila do Amaral e Di Cavalcanti, além das exposições temporárias. Para ajudar a descobrir este espaço, o Núcleo Experimental de Educação e Arte do MAM Rio faz visitas guiadas para grupos, que podem ser agendados pelo telefone 2240-4948, ou pelo e-mail educacao@mamrio.org.br.

Onde: Avenida Infante Dom Henrique , 85, Parque do Flamengo.

Museu do Meio Ambiente. Novo espaço cultural da cidade, dedica-se à natureza e à ecologia. Conta com um Programa Educativo, que oferece atividades e roteiros, tanto nas dependências do museu, quanto pelo arboreto do Jardim Botânico, um passeio indicado para todas as idades. Caso queira conhecer, basta pedir na recepção que alguém apresente as atividades de seus três espaços: Programa Educativo, Meio Ambiente em Debate e Exposição. Para agendamentos de escolas e grupos, é preciso ligar para o número 3874-1229, ou entrar em contato através do email museudomeioambiente.jbrj.gov.br.

Onde: Rua Jardim Botânico, 1008, Casa 6, Jardim Botânico.

Riotur
(Foto: Redação Veja rio)

Museu Nacional de Belas Artes. Uma das instituções de artes mais importantes do país, foi criado em 1938 e hoje conta com um acervo de 15 000 peças. Entre os objetos em exposição, estão esculturas, pinturas, gravuras, e desenhos de artistas plásticos brasileiros e estrangeiros. Há ainda uma coleção de arte decorativa e mobiliário, assim como arte popular e objetos de origem africana. O serviço de visitação com guia é realizado uma vez por mês, das 18 às 19:30h, sendo necessária a inscrição antecipada através do telefone 2240-0068.

Onde: Avenida Rio Branco, 199, Centro.

Fonte: VEJA RIO