COTIDIANO

Vendedores de mate na praia são patrimônio do Rio

Decreto assinado pelo prefeito, Eduardo Paes, faz homenagem aos ambulantes

- Atualizado em

Revista Viagem e Turismo/Flavio Veloso
(Foto: Redação Veja rio)

Há décadas matando a sede de cariocas e turistas nas praias da cidade, os vendedores de mate em galão agora são considerados Patrimônio Cultural e Imaterial. O prefeito do Rio, Eduardo Paes, assinou o decreto que homenageia os ambulantes no último domingo (4), durante um encontro com os trabalhadores nas areias do Leme. Também fazem parte do decreto os vendedores de limonada e biscoito polvilho, delícias tradicionais da orla.

A prefeitura cadastrou cerca de 1200 comerciantes, que vão portar um crachá de identificação. Com o uso da identidade, ficarão livres para trabalhar em toda a extensão da orla com a permissão da secretaria municipal da Ordem Pública. No verão de 2010, a prefeitura causou indignação ao proibir o comércio de bebidas em galão e passou a reprimir a venda com fiscais do Choque de Ordem. Após a repercussão negativa, o governo municipal voltou atrás em menos de um mês e liberou a prática.

Veja também: As delícias da gastronomia praiana carioca não se resumem ao mate de galão e ao famoso biscoito de polvilho. Saiba quais comidinhas você deve provar entre um mergulho e outro

Fonte: VEJA RIO