EXPOSIÇÕES

O nascimento de um ícone

Marco da cidade, o MAM abriga mostra com 100 itens dedicada à história da instituição

Por: Rafael Teixeira - Atualizado em

Divulgação
(Foto: Redação Veja rio)

Em 1958, dez anos depois da fundação como entidade civil, o Museu de Arte Moderna passou a ocupar sua conhecida sede. Cartão-postal da cidade, o espaço abriga, a partir de domingo (7), Sua História, Seu Patrimônio: MAM. Montada em caráter permanente, a mostra repassa a história do prédio no Aterro do Flamengo através de cerca de 100 documentos, entre fotografias, catálogos, fôlderes, convites e outras publicações, além de um vídeo e uma maquete. A curadoria é de Elizabeth Catoia Varela, responsável pelo Departamento de Pesquisa e Documentação da instituição.

No acervo, sobressaem fotos do início da década de 50 que mostram o museu em construção. Bem antes do paisagismo de Roberto Burle Marx (1909-1994) brotar no entorno, o esqueleto de cimento no canteiro de obras já exibia o notável desenho arquitetônico projetado por Affonso Eduardo Reidy (1909-1964). No acervo há ainda catálogos de exposições históricas, caso de Nova Objetividade Brasileira, reunião de vertentes das vanguardas nacionais em 1967, e da segunda coletiva do Grupo Frente, marco do movimento construtivo no país, realizada em 1955.

Sua História, Seu Patrimônio: MAM. Museu de Arte Moderna. Avenida Infante Dom Henrique, 85, Parque do Flamengo, Centro, ☎ 3883-5600. → Terça a sexta, 12h às 18h; sábado, domingo e feriados, 12h às 19h. R$ 12,00. A bilheteria fecha meia hora antes. Pessoas com mais de 60 anos pagam R$ 6,00. Grátis para amigos do MAM, menores de 12 anos e para todos na quarta, a partir das 15h. Aos domingos vigora o ingresso-família: pagam-se R$ 12,00 por grupo de até cinco pessoas. Estac. (R$ 5,00 para visitantes do museu). A partir de domingo (7). www.mamrio.com.br.

Fonte: VEJA RIO