Lava Jato

Sérgio Cabral é citado em e-mail de diretor preso da Odebrecht

Ex-governador é acusado de ter ratificado a entrada da construtora em consórcio que levou o maior contrato de obras do Comperj

Por: Redação Veja Rio

cabral.jpg
Sérgio Cabral: ex-governador comandou o estado entre 2007 e 2014 (Foto: Redação Veja rio)

A Polícia Federal encontrou o nome de Sérgio Cabral num e-mail enviado por Rogério Araújo, diretor da Odebrecht preso na última sexta (19) pela operação Lava Jato. Na mensagem, o executivo indica que o ex-governador pode ter negociado a participação da empresa num consórcio que levou o maior dos contratos de obras do Comperj (Complexo Petroquímico do Rio).

+ Filho de Sérgio Cabral recebe a maior honraria do estado na Alerj

O e-mail foi enviado por Rogério em 4 de outubro de 2007. De acordo com informações veiculadas hoje pela imprensa, a mensagem destinada a quatro diretores da Odebrecht informa que o ex-diretor de abastecimento da Petrobras Paulo Roberto Costa iria conversar com Cabral sobre a inclusão da empresa nas obras do ciclo de água e utilidades do Comperj, que deveria ser ratificada pelo ex-governador. No fim, a Odebrecht terminou formando junto da Toyo e da UTC o consórcio de construtoras que levou o contrato de construção no valor de R$ 11,59 bilhões.

+ Roubalheira implode o sonho do Rio de enriquecer com pré-sal

No momento, as obras do Comperj se encontram parcialmente paralisadas. Iniciadas em 2012, elas tem custo total estimado hoje em 47 bilhões de dólares. Em depoimentos, os executivos da Toyo Júlio Camargo e Augusto Mendonça já afirmaram que houve pagamento de propinas para Paulo Roberto Costa, Pedro Barusco e Renato Duque, ex-diretores da Petrobras. Em nota enviada a jornais, Cabral negou tenha ratificado a entrada da Odebrecht no consórcio ou interferido em qualquer obra da Petrobras.

Fonte: VEJA RIO