CARNAVAL

Mocidade

Conheça o samba-enredo 2012 da escola, "Por Ti, Portinari. Rompendo a tela, a realidade"

- Atualizado em

mocidade.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

Até pouco tempo atrás, detratores costumavam dizer que esta era "uma escola que vinha atrás de uma bateria", minimizando a agremiação, que dependeria somente dos ritmistas formados pelo lendário Mestre André - inventor das paradinhas. Mas a Mocidade cresceu, ganhou títulos e hoje tem, sim, uma vida independente, como já diz seu nome. Falará na Sapucaí das obras do pintor modernista Cândido Portinari, que retratou trabalhadores, retirantes e a vida severina do interior do país.

A escola

Nome completo Mocidade Independente de Padre Miguel

Ano de fundação 1955

Símbolo Uma estrela

Bases Bangu, Padre Miguel, Vila Vintém

Cores Verde e branco

Algumas figuras ilustres Mestre André, Tia Nilda, Toco

Versos que marcaram "Lá vem a bateria da Mocidade Independente / não existe mais quente, não existe mais quente"

Títulos no grupo principal 5

Último título 1996 (Criador e Criatura)

Ano passado 7º lugar

Atual presidente Paulo Vianna

O desfile

Enredo Por Ti, Portinari, Rompendo a Tela, a Realidade

Carnavalesco Alexandre Louzada

Mestres de bateria Bereco e Dudu

Rainha da bateria Antônia Fontenelle

Autores do samba Diego Nicolau, Gabriel Teixeira e Gustavo Soares

Intérprete Luizinho Andanças

Coreógrafo da comissão Renato Vieira

Mestre-sala Robson

Porta-bandeira Ana Paula

Uma ala bacana No primeiro setor, um grupo coreografado formará a estrela-símbolo da escola

Uma alegoria legal O quadro Café

Famosos convidados Marcos Paulo, Regina Casé, Elza Soares, Priscila Machado (miss Brasil)

Concentração Nos Correios

Entrada na avenida Domingo, entre 0h15 e 1h06

O samba

Eu guardei em mim

A mais linda inspiração

Pra exaltar em tua arte

A brasilidade de sua expressão

Desperta gênio pintor

Mostra teu talento, revela o dom

Deixa a estrela guiar

Faz do firmamento, seu eterno lar

Solto no céu feito pipa a voar

Quero te ver qual menino feliz

Planta a semente do sonho em verde matiz

Emoção, me leva...

Livre pincel a deslizar

Vou navegar, desbravador

Um errante sonhador

Voar pelas asas de um anjo

Num céu de azulejos pedir proteção

Vida de um retirante

No sol escaldante que queima o sertão

Moinhos vencer... Histórias de amor

Riscar poesias em lápis de cor

Você, que do morro fez vida real

Pintou nossos lares num lindo mural

Você, retratando a alma, se fez ideal

Meu samba canta mensagens de "guerra e paz"

Seu nome será imortal em nosso Carnaval

É por ti que a Mocidade canta

Portinari, minha aquarela

Rompendo a tela, a realidade

Na voz da minha mocidade

Fonte: VEJA RIO