1º/10 :: sábado

Sons alternativos

Coldplay estrela um dia que ainda tem Júpiter Maçã e Cidadão Instigado

- Atualizado em

01_09_montagem.jpg
(Foto: Redação Veja rio)
01_09_img5.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

Música de qualidade neste penúltimo dia de festa, com destaque para o Coldplay, grupo nascido nos anos 90, na Inglaterra, que hoje diz fazer art rock. Craques da cena alternativa, os rapazes da banda (liderada pelo cantor Chris Martin) vão mostrar Yellow, Clocks, Lost, Viva la Vida (cantada em inglês, apesar do título em espanhol), Charlie Brown e The Scientist, tudo isso rolando no palco Mundo, que terá sido aberto, mais cedo, por Frejat (guitarrista do Barão Vermelho), seguido do grupo mineiro Skank, com sua mistura de rock, reggae e MPB.

01_09_img6.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

Vêm depois a banda de pop rock mexicana Maná e o rapper (e produtor musical) americano Jay-Z, de Empire State of Mind. Sons que escapam do mainstream poderão ser ouvidos no palco Sunset. Ali, a tarde será iniciada com um dos encontros mais esquisitos do Rock in Rio: num mesmo palco, o gaúcho Júpiter Maçã e o cearense Cidadão Instigado (do guitarrista Fernando Catatau). O primeiro tem visual andrógino e canções como Marchinha Psicótica. O segundo mostra influência do rock progressivo e ao mesmo tempo da música brega ? a balada Deus É uma Viagem virou seu maior hit. Instantes depois, a cantora Tiê vai se encontrar com o uruguaio (ganhador de um Oscar, em 2005, pela canção Al Otro Lado del Río) Jorge Drexler. Outra bela parceria acontecerá entre o tremendão Erasmo Carlos e o ex-titã Arnaldo Antunes. Eles vão dividir um show, provando que distintas gerações do rock podem conviver perfeitamente. O sopro jazzístico de Leo Gandelman será apreciado na Rock Street, e, se ainda houver pique para dançar, você poderá se esbaldar, na pista eletrônica, na festa 15th Years of Body & Soul, recriação de uma antiga balada nova-iorquina, que mistura house e disco.

Confira a programação completa

Fonte: VEJA RIO