DIVERSÃO

Para admirar os cartões postais cariocas

O Rio tem paisagens deslumbrantes de todos os lados. Saiba quais são os melhores locais da cidade para fotografá-los

Por: Ernesto Neves - Atualizado em

Divulgação
(Foto: Redação Veja rio)

Cercado por belos cartões postais, o Rio é uma cidade fotogênica como poucas. Com montanhas, florestas e monumentos históricos, há paisagens de tirar o fôlego da Zona Norte à Zona Sul. Somente no ano passado, o Cristo foi visitado por 6 milhões de pessoas, a maioria a procura dos melhores enquadramentos para clicar a estátua e a paisagem. Mas, há lugares menos visitados que também oferecem ângulos surpreendentes, e a chance de admirar pontos consagrados de uma nova perspectiva.

Veja aqui sites e aplicativos para embelezar suas fotos

Um dos melhores pontos é a Estrada do Sumaré, que começa no Rio Comprido. Após subir a serra pela avenida sinuosa, cercada por vegetação exuberante do Parque Nacional da Tijuca, chega-se ao alto do morro do Sumaré, a 700 metros de altura. O local ficou esquecido do roteiro turístico pelo aumento da violência em favelas próximas, como o Turano, mas, desde instalação das Unidas de Polícia Pacificadora na Tijuca, voltou ao mapa turístico. Da mesma montanha onde estão instaladas as antenas de TV da cidade, é possível se ter uma visão privilegiada do Cristo e do Pão de Açúcar. E poucos cariocas sabem, mas, quando o tempo está nublado, é de lá que os fotógrafos fazem imagens do Redentor acima das nuvens.

Riotur/Divulgação
(Foto: Redação Veja rio)

Com 233 anos de história, o Forte Duque de Caxias, mais conhecido como Forte do Leme, é outro ponto de contemplação privilegiado. Após percorrer corredores protegidos por grossas paredes feitas para resistir aos invasores, chega-se ao topo do Morro do Leme. A visão é de tirar o fôlego, com canhões apontados para a entrada da Baía de Guanabara, o visitante pode observar o Pão de Açúcar, a Praia de Copacabana e o Cristo Redentor. O forte funciona de terça a domingo, das 9h30 às 16h30. Nos finais de semana, oferece, ao custo de R$ 4,00, carrinhos elétricos para quem não puder ou quiser subir o morro a pé, com saídas às 10h, 11h30, 13h30 e 15h30.

Quem gosta de admirar o Pão de Açúcar também pode seguir para o Parque das Ruínas, em Santa Teresa. Trata-se do Palacete Murtinho Nobre, antiga residência da socialite Laurinda Santos Lobo, que hoje abriga exposições e um café. Além de sossegado, o local é um excelente mirante para o Centro, com destaque para a Catedral Metropolitana, além de parte da baía de Guanabara e a Enseada de Botafogo. Contemplar os arranha-céus da região central pode ser feito de outro marco histórico carioca, o Palácio Capanema. Antiga sede do Ministério da Educação e Cultura, o edifício de 14 andares com endereço na Rua da Imprensa, tem no terraço um de seus grandes atrativos. Cercado pelos jardins projetados pelo paisagista Roberto Burle Marx, dá para observar toda a região mais agitada da cidade, além da Ponte Rio-Niterói e o aeroporto Santos Dumont.

parquedoisirmaos.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

Frequentadores da ciclovia que circunda a Lagoa Rodrigo de Freitas sabem que a cada curva um novo cenário se descortina. Na lista de cartões postais que podem ser admirados as suas margens estão o Corcovado, o morro do Cantagalo, o Dois Irmãos e a Pedra da Gávea. Mas as águas da Lagoa também é paisagem deslumbrante quando observada de alguns pontos da Zona Sul. Quem for ao Parque Penhasco Dois Irmãos, no Leblon, pode avistá-la em um de seus poucos ângulos onde é possível ver o formato de um coração. Para chegar lá, percorre-se a rua Caio Mário até o fim, no Alto Leblon. e, após uma caminhada de 800 metros em trilha, chega-se ao mirante, reformado recentemente, de onde é possível ver ainda toda a extensão da orla de Ipanema.

Fonte: VEJA RIO