MEMÓRIA DA CIDADE

No clima dos anos 60

O Rio dos protestos de rua, mas também da música e das belas paisagens, em mostra na Justiça Federal

Por: Lula Branco Martins - Atualizado em

Evandro Teixeira
(Foto: Redação Veja rio)

Uma cidade dividida entre a bossa nova e a canção de protesto, um Rio de Janeiro que era ao mesmo tempo cenário de enfrentamentos políticos e palco de intensas manifestações culturais, esse é o ambiente da exposição do fotógrafo Evandro Teixeira que entrou em cartaz na quinta (16), no Centro Cultural Justiça Federal, na Cinelândia. Pelas paredes, imagens em preto e branco e textos de feras da escrita exaltando o profissional e sua obra: "Os trabalhos de Evandro são belos, severos, às vezes pungentes, nunca vazios ou piegas", palavras do escritor Antônio Callado. "Mais do que simples flagrantes, seus retratos captam luz, sombra, volumes e vazios", disse um dia Otto Lara Rezende. Baiano de Irajuba, nascido em 1935, Evandro veio para o Rio na década de 60 para construir carreira no Jornal do Brasil, onde permaneceu até 2010, ano do fim da versão impressa do diário. Aos 77 anos, continua fotografando como freelancer, escreve livros e dá palestras em todo o país. Sua vida já foi tema de um documentário, Instantâneos da Realidade, dirigido em 2003 por Paulo Fontenelle.

Evandro Teixeira
(Foto: Redação Veja rio)

Fonte: VEJA RIO