respeito no trânsito

Rio conscientiza motoristas de ônibus para melhorar convívio com ciclistas

Terminal Rodoviário do Cosme Velho recebe ações do o programa Rio Capital da Bicicleta. Eu apoio

Por: Agência Brasil - Atualizado em

ciclista Vista Chinesa
Campanha visa promover o respeito aos ciclistas no trânsito (Foto: Alexandre Macieira|Riotur)

A Secretaria Municipal de Meio Ambiente leva nestas quarta (2) e quinta (3), a partir das 10h, o Programa Rio Capital da Bicicleta. Eu apoio, ao Terminal Rodoviário do Cosme Velho, na zona sul da capital. O objetivo é  conscientizar os motoristas de 14 linhas de ônibus que circulam próximos das rotas da ciclovia e melhorar o convívio com os ciclistas devido ao aumento da utilização de bicicletas como meio de transporte na região.

A proposta integra o trabalho de implantação de 10,4 quilômetros (km) de ciclovias entre os bairros de Laranjeiras, Cosme Velho, Flamengo e Botafogo, todos na Zona Sul.

A ação prevê ainda palestras nas escolas próximas, visita a um ônibus-modelo, parceria com cicloativistas para conscientização do uso da bicicleta como modal de transporte e abordagem aos pedestres, com foco na sensibilização para as regras de convivência nas ruas.

+ Fórum Internacional de Mobilidade por Bicicleta: inscrições abertas

+ Ciclovia da Praia de Copacabana ganha nova sinalização

O Motorista Amigo do Ciclista é um programa criado pela Universidade Corporativa do Transporte, da Federação de Transporte do Estado do Rio (Fetranspor,) responsável pela educação e o treinamento dos profissionais do setor. Até hoje, 32 multiplicadores foram formados pelo programa na cidade do Rio, o que representa 8,9 mil profissionais capacitados dentro das próprias empresas. Além das aulas e do material impresso, a universidade também utiliza a tecnologia para ajudar nessa relação, com uma websérie de mesmo nome no YouTube, dedicada à convivência entre ônibus e bicicletas e o uso do simulador de direção, que traz situações envolvendo ciclistas na pista.

De acordo com o secretário municipal de Meio Ambiente do Rio, Altamirando Moraes, cada bicicleta na rua é um carro a menos. Isso melhora o trânsito, a qualidade e vida das pessoas e representa uma economia real. A bicicleta hoje é modal de transporte na cidade do Rio, não é mais usada apenas como lazer. Na Europa, a convivência entre ônibus, carros, motos e até metrô de superfície com a bicicleta é harmoniosa. Aqui também é possível”, disse.

Segundo  a prefeitura, a cidade tem a maior malha cicloviária da América Latina, com 380 km distribuídos em todas as regiões do município. São registrados mais de 1,5 milhão de viagens por dia em pequenos deslocamentos e integração com o transporte público.

Fonte: Agência Brasil