COTIDIANO

Resfriado, gripe ou dengue?

Como diferenciar as doenças, que têm sintomas parecidos

Por: Thaís Meinicke - Atualizado em

doencas.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

Mesmo no Rio, que não é muito afetado pelas baixas temperaturas, é comum o aumento de casos de resfriado e gripe com a chegada do outono e do inverno. Com a chegada das estações mais frias, sintomas como febre, coriza e dores no corpo atingem os cariocas, que podem ficar confusos para distinguir qual é a doença que está originando o mal-estar. A dúvida ainda é reforçada com o fato de a dengue, enfermidade que virou epidemia na cidade, apresentar sintomas parecidos aos das doenças típicas deste período.

Na hora de distingui-las, é preciso estar atento às singularidades de cada uma das enfermidades. Resfriado e gripe são doenças virais com sintomas muito similares, diferindo, do ponto de vista clínico, pela intensidade, que é maior na gripe. ?Dores musculares, fadiga, falta de apetite e dor de garganta surgem nos estados gripais. Os sintomas respiratórios altos, como a coriza, estão mais relacionados ao resfriado, já os do trato respiratório inferior, composto por traqueia, amígdalas e pulmões, são mais comuns na gripe?, explica o doutor Antonio Carolos Till, diretor-médico do Vita Check-Up e especializado em saúde preventiva.

Já a dengue não apresenta sintomas respiratórios e é caracterizada por intensa dor muscular e articular, acompanhada de febre que persiste por períodos maiores, de cinco a sete dias. A dor de cabeça severa, principalmente atrás dos olhos, é o principal fator para diferenciá-la da gripe e do resfriado, já que essas enfermidades virais não apresentam este sintoma. Vômitos e tonteiras também podem ocorrer, assim como manchas na pele. A incidência de dengue, no entanto, costuma diminuir em 70% no inverno, já que o mosquito Aedes aegypti necessita de altas temperaturas e umidade para se reproduzir.

Existem algumas medidas que os cariocas podem tomar para prevenir estas doenças típicas das estações mais frias. ?Em relação à gripe, possuímos vacina contra o vírus Influenza, que é uma ferramenta importante na prevenção?, recomenda o doutor Antonio Carolos Till. O especialista indica ainda evitar o contato próximo com pessoas contaminadas e lavar as mãos com água e sabão ou solução antisséptica antes de colocá-las em contato com os olhos e a boca, além de evitar ambientes com pouca circulação de ar e muitas pessoas.

Se não tratados da forma correta, as doenças virais podem gerar complicações infecciosas respiratórias mais graves, como otite e sinusite. A gripe tem ainda o risco de evoluir para uma pneumonia. Já a dengue pode resultar em complicações hemorrágicas graves, levando até à morte. Confira a tabela abaixo e entenda alguns dos sintomas de cada uma das doenças para identifica-las de forma correta:

resfriado-gripe-dengue-2.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

Fonte: VEJA RIO