Após dois anos

Reforma do centro de visitantes das Paineiras será retomada

Obras no antigo hotel devem recomeçar em 30 dias e previsão de conclusão é em julho de 2016

Por: Redação Veja Rio - Atualizado em

hotel paineiras
Projeto de como ficará o novo Centro de visitantes (Foto: Divulgação)

Após dois anos paradas, as obras do centro de visitantes no antigo Hotel Paineiras serão retomadas em cerca de 30 dias. O anúncio foi feito nesta quarta (12), pelo Parque Nacional da Tijuca e pelaRiotur após o Ibama e o Iphan concederem as autorizações necessárias. A primeira fase de obras, orçada em R$ 25 milhões, tem previsão de ficar pronta em julho de 2016, a tempo de servir os turistas que visitarão o Cristo Redentor durantes as Olimpíadas. O objetivo é dar mais conforto e infra-estrutura aos visitantes com novos banheiros, bilheteria com sistema de senhas e uma exposição permanente sobre parques nacionais.

+ Licitação do Teleférico do Alemão é marcada para setembro

+ As melhores atrações do projeto Carioquinha

— Vamos inaugurar o prédio principal, com centro de visitantes, restaurante panorâmico, lanchonete e sanitários para os Jogos Olímpicos. Com isso, a cidade ganha mais um ponto turístico dentro de um parque nacional — explica Antonio Pedro Figueira de Mello, secretário especial de Turismo do Rio. Atualmente, o Parque recebe cerca de três milhões de visitantes por ano, sendo dois milhões para o Cristo Redentor.

+ Curiosidades sobre o Cristo

A visitação ocorrerá normalmente durante as obras, mas o número de vagas para carros será menor. Portanto, o consórcio que administra o local pede que cariocas e turistas optem pelo sistema de vans e trens. 

Abandonado há quase 30 anos, o antigo Hotel Paineiras, construído em 1884, teve sua reforma iniciada em 2013. Meses depois, o Tribunal de Contas da União suspendeu as obras por falta de estudo de impacto ambiental, de licenciamento e de um projeto executivo para as obras no Parque Nacional da Tijuca. Para dar continuidade, o Iphan pediu modificações no projeto como a diminuição do número de pavimentos (de três para dois andares) e das vagas do estacionamento (de 395 para 150).

 

Fonte: VEJA RIO