MODA

Todos querem a Shamballa

Inspirada no terço budista, a pulseira criada pelos irmãos Mads e Mikkel Kornerup virou objeto de desejo dos antenados. Saiba onde encontrar versões da Shamballa no Rio

Por: Louise Peres - Atualizado em

shamballa-original.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

Fios trançados, pedras preciosas, bolinhas de ouro 18 quilates e, voilá, o acessório mais desejado dos últimos tempos. Se você nunca ouviu falar dessas pulseiras, no mínimo já viu uma delas por aí, enfeitando os pulsos de Jay Z, Beyoncé , Michael Schumacher, Justin Bieber, do estilista italiano Valentino, e também de brasileiras como as tops Adriana Lima e Alessandra Ambrósio e a apresentadora Adriane Galisteu. Inspirada no terço budista, a Shamballa ganhou notoriedade nos pulsos da supermodelo Helena Christensen, que usou uma versão do acessório ornamentada com diamantes para ir à cerimônia do Oscar em 2009. De lá para cá, os irmãos colecionam uma lista de celebridades que desfilam a joia. Foi o suficiente para que as peças ganhassem as páginas de revistas de moda do mundo inteiro e fashionistas aderissem também às tranças ornamentadas com pedrinhas.

shambala-famosos2.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

Criada nos anos 90 pelos irmãos dinamarqueses Mads e Mikkel Kornerup, a pulseira ganhou o mesmo nome da grife aberta por eles nos anos 90, a Shamballa Jewels. Uma original custa, atualmente, alguns milhares de euros. Há modelos que chegam a 30 000 (quase 70 000 reais). Os altos valores se justificam pela matéria prima usada nas peças: usando a técnica do macramé, fios são entrelaçados a metais nobres e pedras preciosas, como ouro, diamantes e cristais. Se as autênticas estão um tanto distantes da realidade da maioria dos pobres mortais, já existem no mercado exemplares inspirados no acessório. A carioca Andrea Baeta, que já cultivava o hábito de criar e montar bijuterias para uso próprio, se viu louca pela pulseira quando ganhou um modelo similar à Shamballa, comprado em Nova York. Decidiu então fazê-las, com materiais bem menos custosos. O resultado foram peças igualmente bonitas, que logo conquistaram as amigas, conhecidas, parentes... "Assim como eu, um monte de gente também estava atrás das pulseiras. Comecei então a fazer para os outros também", conta ela, que somente em dezembro, com encomendas de Natal, produziu sozinha mais de 250 peças. Cada uma exige cerca de duas horas de trabalho. "Cheguei a trabalhar dezoito horas seguidas num domingo", conta.

pulseira4.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

As peças de Andrea têm com um quê de exclusividade: cada combinação entre fios (encerados, de couro, seda), pedras coloridas, cristais, strass e quartzos dá origem a no máximo duas unidades. Hoje, ela fornece para a multimarcas Dona Coisa, no Jardim Botânico, onde se encontram modelos que custam de 100 a 300 reais. "A gente já tinha percebido em uma viagem a Nova York, em agosto do ano passado, como as pessoas estavam usando", conta Bebel Pimentel, assistente de compras da loja de Roberta Damasceno. "De lá pra cá, a demanda pelas pulseiras aumentou muito, são mais de dez vendidas por semana", contabiliza.

pulseiras2.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

Pulseiras inspiradas na Shamballa se espalharam por outras lojas e ateliês da cidade - e foram parar até na feira hippie de Ipanema. Se quiser entrar na onda e garantir a sua também, grifes como Cantão, Wöllner e Folic, e designers como Marzio Fiorini criaram belas versões para a criação dos irmãos Kornerup. Lojas online, como a Singolo, também oferecem modelos semelhantes à pulseira da Dinamarca. Como todo modismo, a Shamballa também tem suas versões populares. Tão charmosas e descoladas como a original, mas com um precinho bem mais camarada.

Onde encontrar Cantão. Rio Sul. Rua Lauro Sodré, 445 loja 201 - parte b 23, tel. 2541-3340/ 3697. www.cantao.com.br

Dona Coisa. Rua Lopes Quintas, 153, Jardim Botânico, tel. 2249-2336. www.donacoisa.com.brFolic. Rua Visconde de Pirajá, 540 Loja B, Ipanema, tel. 2512-9323/ 8324. www.folic.com.br

Marzio Fiorini. Rua Beneditinos, 16/801, Centro, tel. 2492 7385. Show room, atendimento com hora marcada. www.marziofiorini.com.br

Pianura. Rua Visconde de Pirajá, 351 - loja 104, tel. 3598-4984Singolo. Compre pelo site www.singolo.com.br

Wöllner. Rua Visconde de Pirajá, 511/loja A, Ipanema, tel. 2239-3222. www.wollner.com.br

Fonte: VEJA RIO